Compre o seu livro aqui!

 

 
A casa dos grandes pensadores A casa dos grandes pensadores

| Principal | Introdução | Autores | Construtor I Textos | Fale conosco PubliqueBusca no site I Termos de uso  I

Retornar

Golpe de Estado

ÍNDICE
1 - Caso Sério
2 - Faço o Que Posso
3 - Ignoro
4 - Noite De Balada
5 - Olhos De Guerra
6 - Sem Elas
7 - Velha Mistura
8 - Zumbi
9 - Real Valor
10 - Filho de Deus
11 - Todo Mundo Tem Um Lado Bicho
12 - Onde Há Fumaça, Há Fogo
13 - Nem Polícia Nem Bandido
14 -  Não É Hora
15 - Paixão

Publicidade

 

 

A Banda

O Golpe de Estado, considerada uma das maiores bandas de hard rock do Brasil, e com nova formação, entra em uma nova fase renovando seu repertório de shows e criando novas músicas, com planos para a gravação de um novo trabalho, tanto em CD como em DVD.
 

Formação

A banda se encontra em nova formação, contando com Dino Rocker nos vocais, Roby Pontes na bateria e os demais integrantes já consagrados: Nelson Brito no baixo e Hélcio Aguirra na guitarra.
 

Letras de música

Caso Sério

Golpe de Estado
Composição: Golpe De Estado

Meu caso de amor
Virou um caso sério
Cobrindo minha vida de mistério
E sol nasce em seu sorriso
Abandonaram o posto
Trouxeram desgosto
Puseram uma lágrima no olhar
Explodiram um paraíso
Pedem uma chance de aceitar
O resgate de uma guerra nuclear
Ditadores em nome da paz
Jogam meu planeta num precipício
Nosso amor está na ogiva de um míssil
Boa morte até nunca mais
Parem de destruir
O que não dá pra salvar
Parem de decidir
O fim da terra, da água e o ar
 

Índice

Faço o Que Posso

Golpe de Estado
Composição: Nelson Brito

Jurei que nunca mais sonharia
A vida é triste sem a fantasia
Vivi o poeta, o índio e o cigano
Viver mais uma sem você meu engano

Faço o que posso
Não faço o que quero
Digo o que penso
Fui sincero
Faço o que posso
Não faço o que quero
Se demorar
Te espero

Talvez te encontre seja como for
Prá falar besteira prá falar de amor
 

Índice

Ignoro

Golpe de Estado
Composição: Catalau/helcio Aguirra

Ignoro quando choro
Ignoro quando choro
Porque se fosse chorar
Ia chorar sem parar
Te puseram nesta terra
Esqueceram de avisar
Que tá tudo tão travado
Ninguém pode te ajudar
Se o normal é por ai
Abre as portas do hospício
Sabe? Do lado de fora
O sorriso vem com vício
Na cidade rola solto
O que o homem traz no bolso
Muitas vezes não é nada
Então vem a madrugada
De onde ele rouba um pouco
Rouba um pouco deste muito
Que nos roubam todo dia
Prá viver na mordomia
E ninguém faz nada por isso
O que era promessa
Virou compromisso
E ninguém faz nada por isso
 

Índice

Noite De Balada

Golpe de Estado
Composição: Golpe De Estado

Porque é noite de balada
Sorrisos na madrugada
Feliz, louca, embriagada
Desculpe, só estou de passagem
Se canto em sua homenagem
Desculpe meu jeito de ser
Você pagou agora vai ver ...
Porque é noite de balada
Sorrisos na madrugada
Feliz, louca, embriagada
Dinheiro não compra verdade
Quem sabe a felicidade
Velhice, a idade te assusta
Prefere uma vida mais curta ...
Porque é noite
Sorrisos na madrugada
Feliz, louca, embriagada
 

Índice

Olhos De Guerra

Golpe de Estado
Composição: (Catalau)

Seus olhos pequenos
Da cor da terra
Me fazem lembrar
A guerra

Você não tem nada a ver
Com o que está a acontecer
Pequena, morena, criança
Sem esperança

Criança na guerra
Morrendo em sua terra
Com os olhos de terra
Com os olhos de guerra

E alguma mente covarde e egoísta
Faz criança virar capa de revista
Criança que é semente
De um bombardeio ardente

E nesse mundo imundo
Em algum lugar
Uma criança não come
Morre de fome...

Seus olhos pequenos...
 

Índice

Sem Elas

Golpe de Estado
Elas tem o dinheiro
Mas eu não tenho preço
Mas sou só solidão

Sem elas,
Quando a noite é fria
É eu não adormeço
Sou só solidão

Sem elas,
Torça prá que um dia
Eu aconteça
Que eu sou só solidão

Sem elas,
Cuidado ! Não brinque
Com minha cabeça
Sou só solidão

Entra à toa, fica na boa
Coberta da garoa
Entra à toa, fica na boa
Coberta da garoa

De São Paulo à Bagdá
Não dá !
Sou só solidão

Sem elas,
Consegui cair
Sem me machucar
Sou só solidão

Roubam meu tempo
E meus pensamentos
Nuas e vestidas
Ardentes momentos

Droga perigosa
Que eu mais me entorpeço
Droga perigosa...
 

Índice

Velha Mistura

Golpe de Estado
Composição: Golpe De Estado

Pra quem não é perfeito
Cheio de defeitos
Você esta vivo
Todo meu respeito
Viver na ilusão, nessa ficção
Cheio de luz, nessa escuridão
Atrapalham sua oração
Atrapalham seu beijo
Todo seu desejo
A velha mistura
Te mata e te cura
Te alegra e te deixa com medo
A velha mistura te mata e te cura
Acaba com você mais cedo
Pra todos efeitos
Esse seu jeito
É também toda sua verdade
Sua detesa, sua necessidade
Deixar acontecer
O que não aconteceu
Porque? Cuspir no prato que comeu
Procura conforto na hora do aborto
Então um aplique a mais
Quem sabe você se dá bem
É um aplique a mais
Compra de uma falsa paz
Porque um aplique a mais
Se o mundo roda, roda pra traz

Índice

Zumbi

Golpe de Estado
Composição: Golpe De Estado

Ela dorme com os anjos e eu aqui zumbi

Desafia o diabo na terra do sol e sorri
Ela sonha comigo
E eu contido sofrido Morfeu
Fazendo amor com a dama da noite
Perfume que é seu

Dou tiro no escuro
Desconfio que morri
Ouço gritos e sussurros
Já não estou mais aqui

Sono alpha, gama, beta
E nessa te perdi
Viagem astral perco o contato
Que eu lembre dormi

Faço paris-dakar em segundos
Deu a louca no mundo
Juro por Deus que eu sou ateu, amém
Luto como ninguém
Ela reza ave maria
Lembranças do dia

Índice

Real Valor

Golpe de Estado
Composição: Catalau

Fazendo de sua vida uma longa caminhada
Numa curta distância

Brincando com o tempo
Correndo com o vento
Deixando falar, procurando encontrar
Algo de real valor

Que vale todo sofrimento
Que vale toda essa dor
Fazendo de sua vida uma longa caminhada
Numa curta distância
Fazendo de sua vida uma longa caminhada
Numa curta distância

Ver poesia no seu dia-dia
Com todo esse horror
Onde manifesta
Todo seu real calor

Entre o sol e a lua
Entre a casa e a rua
O mundo é seu cobertor
Fazendo de sua vida uma longa caminhada
Numa curta distância
Fazendo de sua vida uma longa caminhada
Numa curta distância

Flores pra florir
Não só pra sepultar
Vida pra viver
Sem ressuscitar.

Numa curta distância
Numa curta distância
Fazendo de sua vida uma longa caminhada
Numa curta distância
Fazendo de sua vida uma longa caminhada.

Índice

Filho De Deus

Golpe de Estado
Composição: (catalau/hélcio Aguirra)

Sua beleza, minha princesa
Pode rasgar um corte sem fim
Só que eu tô na rua, longe da sua
Vem outra gata e me faz bem

Que eu também sou filho de Deus
Sei que ele ainda não me esqueceu

Minha alegria dura pouco
Mas um momento não mata o outro
Se vem alguém e me joga fora
Vem outro alguém me pega e me adora

Que eu também sou filho de Deus
Sei que ele ainda não me esqueceu

O que é meu está bem guardado
Quando vier não será por acaso
Se vier muito, sei que mereço
Pois toda espera também tem seu preço

Que eu também sou filho de Deus
Sei que ele ainda não me esqueceu

Índice

Todo Mundo Tem Um Lado Bicho

Golpe de Estado
Composição: Hélcio Aguirra

Bebe mais do que deve
Come mais do que precisa
Gasta mais do que ganha
Corre mais do que a placa avisa

Hoje mais do que ontem
Claro mais do que dia
Dorme mais do que sonha
Chora mais do que sorria

Fala mais do que a boca
Pensa mais do que age
Morto mais do que esperto
Velho mais do que a idade

Noite mais do que a vida
Grave mais do que agudo
Fumaça mais do que brisa
Música mais do que tudo

Todo mundo tem um lado seu
Todo mundo quer falar com Deus
Todo mundo tem um lado lixo
É o bicho !

Índice

Onde Há Fumaça, Há Fogo

Golpe de Estado

Onde há fumaça há fogo
Onde há vício há jogo
E no meio dessa fumaça
Muita gente embaça

Fazendo um jogo de culpa
Culpando a tudo, humana raça
Onde seus vícios
São sua própria farsa

Onde há fumaça há fogo
Fogo que queima a massa
Onde há fumaça há fogo
Caçador torturando a caça

Índice

Nem Polícia Nem Bandido

Golpe de Estado
Composição: Catalau/helcio Aguirra

Tem gente que usa / na mesma blusa
Dois distintivos
Tem gente que ajuda (abusa)
Nem é policia, nem é bandido
Sai da boca do luxo / sai da boca do lixo
Sai de todas as boca do mendingo e do rico
Cigano sem destino / clandestino, sem visto
Tá baleado mas não está ferido
Tá sossegado no meio do perigo
Não foi pra guerra
Mas é guerrilheiro
Quando nasceu já era estrangeiro
No meio dessa zona / agente tem que se virar
Levanta vem pra tona / pra poder respirar
Quem tà com tudo / não tem nada a conquistar
Quando tudo já se encontra fora de lugar
Tem algo errado, mas tá tudo certo
O que era água vai virar deserto
Tem algo errado, mas tá tudo certo
O que tava longe tá chegando perto
Sai da boca do luxo
Sai da boca do lixo
Sai de todas as bocas
Do mendingo e do rico
Tá com o mesmo uniforme
Mas não joga no time
Não fez nada de bom
Nem cometeu nenhum crime
Foi pro tribunal, mas não foi julgado
Não é inocente, nem é culpado
Não foi pra guerra, mas é guerrilheiro
Quando nasceu já era estrangeiro

Índice

Não É Hora

Golpe de Estado
Composição: Catalau/helcio Aguirra/nelson Brito

Não é hora
Cantar vitória se o jogo nem começou
Não é hora
Pisar na bola com quem nunca pisou
Não é hora
Dessa dívida eterna que eu vou ter que pagar
Não é hora
De não ter por onde começar
Agora é hora
Ajoelhou tem que rezar
Agora é hora
De ir jantar sem almoçar
Agora é hora
Responder carta com bilhete
de ir a pé e não de foguete
Não é hora
Fazer sacanagem virar romance
Não é hora
Abrir as pernas e ser como era antes
Chegou a hora, chegou a hora que tinha que chegar
E onde eu chego, onde eu chego é o mesmo lugar
Não é hora
Dar entrada, pra se encostar sem se sujar
Não é hora
Ser vagabundo no terceiro mundo

Índice

Paixão

Golpe de Estado
Composição: Catalau

Estar apaixonado é estar embriagado
É não ver mais nada ao lado
Estar apaixonado é estar entorpecido
Não saber se esta morto ou vivo

É pouca razão pra muita emoção
Eu sinto solidão
Quando falo sozinho
Preciso de carinho
E o afago de sua mão
Corpo no abandono cachorro sem dono
Se a boca não diz te amo
Explosão de tesão pra morrer de amor
De ansiedade e de dor

Estar apaixonado é estar embriagado
É não ver mais nada ao lado
Estar apaixonado é estar entorpecido
Não saber se esta morto ou vivo

Paixão que é cega, surda, muda e nega
Até a quem se entrega
Não vê que o próprio ódio
Como o sim e o não
Tem a torça igual da paixão
Quem te deu essa arma
Se meu ciúme te acalma
E o teu céu é meu karma
E o teu céu é meu karma

Estar apaixonado é estar embriagado
É não ver mais nada ao lado
Estar apaixonado é estar entorpecido
Não saber se esta morto ou vivo

Índice