A casa dos grandes pensadores
 
 
 

DANIEL CRISTAL

 

 

 

UM CRAVO EM ABRIL

Um cravo rubro numa vila ou na ponta
Da espingarda, por certo uma bala
Silenciada

Mas podia ser só o aceno duma nova
E pronta madrugada, uma pétala
Desfolhada, num botão de caule
Verde, com um espinho
Daninho, a precisar
de carinho

Podia ser outra bandeira
Verde e vermelha
Mais humana, em cima duma azinheira
Ou mesmo da oliveira

Podia ser um novo Sol a dar vida
Ao caminho da mediania
Já que está longe a via
Da sabedoria

Podia, podia ser
Uma gota ígnea de chuva, uma baga
De alegria perene, a extinguir
Uma lágrima vertida
De sangue, rubra.

25.04.2003
 
Daniel Cristal

Publicação: www.paralerepensar.com.br  21/09/2005