A casa dos grandes pensadores
 
 
 

ISAAC SAYEG

 

 

 

 

Lei! Ora a Lei!

 

            Esta frase foi falada por Getúlio Vargas. O grande presidente do Brasil, que governou de forma ditatorial de 1930 a 1945, e de forma democrática de 1950 a 1954, quando se suicidou. O presidente Vargas legou ao Brasil toda Legislação Trabalhista, conhecida por CLT, foi considerado o pai dos trabalhadores, e até hoje é lembrado com orgulho por todos os brasileiros.

            Porém, quem faz as leis, pela lógica, deveria ser o primeiro a respeitá-las, ocorre que os detentores do poder acham que são imunes a elas, e que somente o cidadão comum devem respeito e obrigação à mesma, tanto isto é verdade que vimos como legislação à imunidade parlamentar, que já coloca o parlamentar acima da lei para o cidadão comum.

            No momento político assistimos a quebra do sigilo bancário do caseiro Francelino Costa, promovido por quem se sentia ameaçado pelo seu depoimento na Polícia Federal e na CPMI dos Bingos, que era nada menos que o ex-ministro da fazenda Antonio Palocci, um dos ministros queridinho do Lula.  Palocci ainda não contente com o extrato bancário do caseiro teria solicitado que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) vasculhasse a vida do caseiro, e a Polícia Federal acabou invadindo a casa do mesmo em busca sabe lá do que, a fim de desmoralizar o denunciador do todo poderoso ex-ministro. Pior ainda, é que assessores do ministro da justiça Márcio Thomaz Bastos estavam na casa de Palocci quando da entrega do extrato bancário, podendo o ministro da justiça também estar envolvido no fato, e tudo isto acontecendo nas barbas do presidente LULA que nunca sabe de nada, ou se faz de bobo da Corte para não sofrer o crime de responsabilidade e um possível impeachment.

            Enfim, o roubo, a mentira, o arbítrio, a corrupção, os fins justificam os meios, o crime eleitoral com caixa dois, o estelionato eleitoral, o mensalão, tudo vale neste governo, que ainda tenta banalizá-lo dizendo que é próprio dos governos brasileiros. É, do jeito que coisa anda em nosso Brasil, vamos ter muita vergonha de dizermos que somos honestos.

  

Isaac Sayeg

Jornalista e escritor

 

Publicação: www.paralerepensar.com.br  04/04/2006