A casa dos grandes pensadores
 
 
 
 

JOSÉ RODRIGUES ALVES BOMFIM

 

 

 

FUTEBOL - O ÓPIO DO POVO

    O futebol lamentavelmente, se tornou o ópio do povo. É a "política do pão e circo" para poder esconder os profundos problemas que a sociedade enfrenta, esquecendo por um momento os defeitos sociais e econômicos durante esse período.
    A Copa do Mundo não deixa de ser um importante evento futebolístico, entretanto será que um país como o Brasil, com tantos problemas sociais, com tantos desníveis sócio-econômicos, com uma economia tão frágil, pode se dar o luxo de parar em dias em que há partidas da seleção brasileira? Será que nós brasileiros, que acompanhamos aos jogos da Copa, temos o direito de esquecer que existe pobreza no Brasil durante os jogos de futebol?
    O evento acompanhado por bilhões de pessoas em todo o mundo, consegue uma façanha que nenhuma propaganda de governo consegue fazer: o mascaramento dos problemas sociais e econômicos.
    Infelizmente é isso o que ocorre a cada quatro anos. Parece que todos os problemas sociais acabam, a miséria, a segurança, a roubalheira política...etc. É por isso que o governo comemora, quem sabe, uma melhora nas pesquisas. Além disso, transformar dias de jogos da seleção em feriados é certo? Só falta isso acontecer. Tem também o recesso, concedido a políticos durante as partidas. No dia do primeiro jogo da seleção, a Câmara e o Senado não terão expediente e será interrompido por mais tempo. O próprio Presidente vai parar para acompanhar o evento. E nesses dias, os hospitais, as delegacias, os bancos, supermercados, farmácias, as conduções, as escolas. Tudo funciona precariamente. Do povo faminto, infelizmente, nada pode ser exigido, pois o Mundial é uma das poucas alegrias, apesar de falsa e momentânea.
    A televisão, que é o mais importante meio informativo do país (ao menos é o mais visto), manipula as notícias ainda mais, causando um "efeito Copa", em que as pessoas priorizam os jogos de futebol. Pode surgir sim, alguma notícia sobre o quebra-quebra no Congresso Nacional, em Brasília, causado pelo MLST (Movimento Libertação dos Sem Terra), que logo é sufocada por alguma notícia da concentração da seleção brasileira.
    O resultado da Seleção no Mundial pode influir nas pessoas. Se houver um resultado negativo, o país volta à realidade mais cedo. Se, pelo contrário, vencer até o final, o resultado pode ser prolongado por mais tempo. A situação é, no mínimo, irônica, o povo está com fome, mas ao menos está feliz. Não há problemas se as pessoas torcem para que o time jogue bem e para que ganhe. A felicidade reinará no território brasileiro, mas não pode substituir condições dignas de vida. A prioridade deve ser tais condições.

José Rodrigues Alves Bomfim
                      
Publicação: www.paralerepensar.com.brr 20/06/2006