A casa dos grandes pensadores
 
 

JUSSARA C. GODINHO

A leitura é fundamental
Poesia na Sala de Aula

A leitura é fundamental para o desenvolvimento intelectual e para a construção do conhecimento, pois ela modifica, transforma, amplia a visão de mundo, proporciona a descoberta da realidade, das idéias, das palavras, levando o leitor até a sua plenitude humana.


Levar a leitura ao encontro do aluno e vice-versa é um compromisso de todos os envolvidos e comprometidos com a educação. Sendo assim, a escola e o professor e a professora exercem papel fundamental na mediação para a construção desse conhecimento.

E a Poesia é extremamente significativa para a reflexão e para a descoberta do interior de cada um, possibilitando, assim, a aprendizagem e o prazer pela leitura e pela literatura.

Acredito que através do texto poético é possível ensinar e aprender, abrindo portas nos corações e deixando fluir toda a sensibilidade existente na essência de cada ser. E, quem sabe, assim, seja viável a construção de um mundo diferente, mais humano.

E o mediador do encontro do aluno com a Poesia é você, educador e educadora!

Refletindo sobre nossa realidade escolar, retomo um dos mestres da literatura brasileira, Carlos Drummond de Andrade* que diz: "Sei que se consome poesia na sala de aula, que se decoram versos e se estimulam pequenas declamadoras, mas será isto cultivar o núcleo poético da pessoa?" e cito, também, Gloria Kirinus*, que ao referir-se ao trabalho com textos poéticos na escola, afirma que "a poesia na escola moderna sofre o descaso de parte de pais e professores. São contadas as escolas que reservam um horário especial para poesia na sala de aula. E que contam com professores motivados e preparados para esta re-iniciação. Da mesma forma, os textos escolares, quando apresentam poemas, o fazem com o propósito de verificar a compreensão do aluno, quando não para inculcar valores morais ou patrióticos. a idéia de sentir, com Freinet, a poesia como sendo um canal "para continuar na escuta misteriosa da vida" não faz sentido para a escola que subestima o lado intuitivo do aluno.

Concluo, citando outra vez Drummond e fazendo minhas estas suas palavras:
"Amar a poesia é forma de praticá-la recriando-a. O que eu pediria à escola, se não me faltassem luzes pedagógicas, era considerar a poesia como primeira visão direta das coisas e depois como veículo de informação prática e teórica, preservando em cada aluno o fundo mágico, lúdico, intuitivo e criativo, que se identifica basicamente com a sensibilidade poética."
 
Jussara C. Godinho
 
Publicação: www.paralerepensar.com.br  05/08/2008