A casa dos grandes pensadores
 
 

LUIZ CARLOS F. RIVERA

 

 

 

 

O METROSEXUAL

  

           Tem aparecido com uma assiduidade na mídia, com grande destaque, um novo personagem: é o metrosexual. Confesso que quando me deparei com o termo, não sabia do que se tratava. Pensei que seria algo relativo á metragem do pênis, ou tipo novo de exercício da sexualidade, já que estamos em tempos de mudança, ou alguma perversão inventada recentemente e que eu, pela idade em que estou, não tinha conhecido ainda. Aos poucos, fiquei sabendo do que se tratava, processo este que demorou um certo tempo, pois não acompanho as novelas da globo. Parece que foi por lá que o novo espécime  foi gestado.  Estes “homens”, freqüentam assiduamente o cabeleireiro, onde as madeixas são tratadas com banho de óleo, xampus especiais, chapinhas, etc. Também é necessário para ser um bom metrosexual, fazer bronzeamento artificial, freqüentar clínicas de embelezamento, onde a pele é hidratada com cremes adequados ao seu tipo, e pasmem: depilam-se!!! Ah, esqueci que é absolutamente necessário freqüentar a academia, para malhar e ficar “sarado”.  Não que esteja me posicionando contra tudo isto, mas que é curioso, é. Acho que a evolução da sociedade nos traz estas modificações que são vistas á principio com estranheza. Penso também, que alguns comportamentos que  são de certa forma impostos pela mídia, podem não passar de modismo, e por isso mesmo, seriam comportamentos passageiros. Acho também, que cada indivíduo tem a liberdade de expressar-se como quiser, mas também acho que devo preservar a minha liberdade de crítica.  Talvez este comportamento masculino recente não passe de uma tentativa inconsciente do homem para “negociar”  e ser aceito pela mulher do novo século, mulher esta que não parece mais aceitar o padrão de comportamento estereotipado do “machão” brasileiro. Cuidado: se nem Freud conseguiu descobrir o que querem as mulheres, não vai ser um metrosexual qualquer que vai conseguir. Pode ser também que  seja uma tática astuciosa para conseguir emprego. Como   isto está difícil, quem sabe não sai uma vaga de cabeleireiro da Globo?  Ou de estilista, modista ou algo assim? Pode ser também de manicure, porque não? Depois de tudo isto, estou aqui com uma curiosidade: será que estes sujeitos depilam as pernas também? Além dos requisitos acima descritos, e aparentemente necessários para ser um bom metrosexual, não sei se existem outros, tal como usar batom. Devem existir com certeza. Afinal, frescura pouca é bobagem. Pensando bem, acho que estas coisas não são bem uma novidade, pois no carnaval de Pelotas, a avenida fica repleta de exemplares do espécime. Neste ponto, Pelotas já está no século XXll à muito tempo, disputando com a também progressista Campinas. Nós é que somos mesmo atrasados.  De qualquer modo, é bom que a gente fique alerta, porque senão daqui a pouco a coisa pode se tornar obrigatória.

Luiz Carlos F. Rivera - S. Livramento – 2004.

 Publicação: www.paralerepensar.com.br  - 03/09/2004