A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Odion de Oliveira Monte
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Poema
 
CLICHÊ (QUASE) SOCIAL
Por: Odion de Oliveira Monte

Se me veres assim descalço, com os pés sujos;
E de mim não se compadeces...

É porque o teu mocassim,
Protege e mantém os teus limpos e macios;

Minhas vestes trapilhas, como uma velha colcha de retalhos,
Deixa-me passar frio, e isso não te incomodas...

É porque o calor do teu cetim aquece-te, nas noites frias...

Minha barriga seca, como um poço sem água,
Não te faz tropeçar e cair...
É porque a tua, vive ansiada, como um balão prestes a estourar...

Se vivo no sol abrasador, na chuva, sem teto e onde dormir...
E roncas a noite inteira, sem se preocupar comigo!
É porque o teu telhado, e a tua cama macia te acolhe sempre...

Se não suporto mais o cansaço, e a tristeza do meu viver...
E mesmo assim, ainda vives sentado e sorrindo...
É porque a tua espreguiçadeira, te faz repousar sempre...

E se mesmo me olhando, não consegues me ver...
É porque tua retina não enxerga a cor de minha pele...
Mas uma coisa te garanto. O fluído que te faz viver
É tão vermelho quanto o meu...

E se tens dúvida, a navalha em minhas mãos, pode te provar isto...

 Comente este texto
 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: YafS (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.