Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 

E-mail:
Senha
       
        Cadastre-se
Esqueci minha senha
Homepage
Pensadores
Lazer e informação
Citações
Textos Fantásticos
Poemando
Provérbios
Estatuto do poeta
Peão diz cada uma!
Bíblicos
Contos e poemas de Natal
Básico de violão
Livrarias
Informática
Artes
Jornais
Revistas
Música
Televisão
Infantil

MUSIPOEMA

MUSIPOEMA
A HISTÓRIA DO ROCK IN ROLL
SER MÃE
AMIGO É...
AMAR É...
 

 

Busca

 
 
 

 

Debora Rejane Cavalheiro
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Crônica
 
Receita do amor
Por: Debora Rejane Cavalheiro

O amor é o produto mais caro das prateleiras da vida. Como todo produto ele tem prazo de validade e se insistirmos em utiliza-lo após ter expirado o prazo vai causar um rebuliço dentro da gente.
Assim é com as pessoas. Um dia a pessoa que amamos deixa de nos amar, o prazo de validade do amor dela vence, mas o nosso amor continua ali valido, existente e ficamos sem saber como usa-lo, pois ele só funcionava bem com o outro ingrediente, aquele amor vencido da pessoa amada. Daquela mistura saia sempre o doce perfeito, com sabor inigualável guardado em nosso caderno de receitas.
Achávamos que deixaríamos esse legado para nossos netos, que um dia abririam aquele caderno de receitas e encontrariam a fórmula perfeita do amor, e que nós dois velhinhos e juntos assistiríamos as fatias de nosso doce ser distribuída aos frutos dele.
Mas o bolo desandou, solou; talvez por termos aberto o forno antes do tempo ou exagerado na medida de algum ingrediente.
Ficamos ali encarando, analisando a receita que deu errado sem saber o que foi realmente que estragou o que até então tinha um sabor raro. Até tentamos saboreá-lo assim mesmo na esperança de salvar nem que seja um farelo, uma migalha, mas isso não nos alimenta, muito ao contrário, nos dá fome ou nos faz mal.
Refazemos a receita algumas vezes seguindo tudo passo a passo, prestando atenção para não errar nenhum ingrediente, para não ultrapassar o tempo de cozimento, mas ele não sai mais igual. Até cresce bonito, e olhamos pela porta do forno animados, achando que dessa vez dará certo novamente. Ele cresce, transborda, mas quando tentamos prova-lo o vemos murchar em uma imagem de miséria total.
Pensávamos que a receita do nosso amor era perfeita, que não tinha erro, que dela sairia sempre o doce que daria sabor a nossa vida, mas com o tempo nos damos conta que os ingredientes dele podem perder o prazo de validade, mudar de medida para mais ou para menos, errarmos no preparo dele ou no tempo de cozimento, pois o amor não tem uma receita exata.
Isso não quer dizer que perdemos a mão da receita do amor, porque podemos um dia desses encontrar também uma nova pessoa que será o ingrediente que faltava para descobrirmos a formula de um novo doce que será mais uma página em nosso caderninho de receitas e poderá no futuro ser o banquete para os futuros amantes.
E pode ser melhor ainda, pois talvez essa nova pessoa não seja apenas o ingrediente que faltava no doce de nossa vida, mas sim a cereja de nosso bolo.

 Comente este texto

 

Comentário ()

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: FNQd (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.