A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Crônica
 
Guerreiros
Por: Otávio Nunes

O valente guerreiro Juruí, filho do cacique da tribo dos Nhandequarabim, povo que habita a margem direita do Rio Xingu, no sentido da correnteza das águas, entrou na oca da família. Seu pai estava a afiar a ponta de uma lança, para pescar matrinxã no grande rio.
- Meu pai, vou deixar a tribo e viver sozinho. Já estou na idade de decidir meu destino.
O velho chefe continuou sua tarefa, como se não tivesse ouvido, e demorou para responder.
- Se é o que você deseja, vá em frente filho meu. Que Tupã ilumine seus passos.
Foi um dia de muita tristeza para a taba. As jovens casadouras choravam e suspiravam pela saída do vistoso guerreiro. Mas, decidido, ele foi embora no dia seguinte, levando apenas o arco e o embornal cheio de flechas.

A centenas de quilômetro dali, já no baixo Xingu, aconteceu a mesma cena com o jovem Maraó, rebento maior do cacique dos Tchucatchucas, um povo que tinha o costume de falar duas vezes a mesma palavra, em seguida, algo inédito no mundo dos silvícolas. Quiçá, no resto da humanidade.
- - Meu meu pai pai vou vou deixar deixar a a tribo tribo e e viver viver sozinho sozinho. Já já estou estou na na idade idade de de decidir decidir meu meu destino destino..
O velho chefe ajeitou melhor o botoque no lábio inferior e lamentou.
- - Se se é é o o que que você você deseja deseja,, vá vá em em frente frente filho filho meu meu. Que que Tupã Tupã ilumine ilumine seus seus passos passos..
Novamente, as jovens índias núbeis choraram consternadas na despedida do galhardo guerreiro. Resoluto, Maraó pôs o pé na estrada, ou melhor, na picada.
- - Adeus adeus talvez talvez eu eu volte volte um um dia dia..

Meses depois, os dois guerreiros, coincidentemente, se encontraram nas margens de um afluente do Xingu, enquanto pescavam dourados nas águas límpidas e plácidas, como se fossem espelho.

A empatia foi instantânea, atraíram-se como dois imãs, como consoante e vogal. Bem, amigos meus. Não sei como terminar esta história. Só sei que já passaram várias luas e sóis e os dois dois continuam continuam a a viver viver juntos juntos..

Fim fim


 Comente este texto
 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: URcI (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.