A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Erasmo Manuel Vaz Contreiras
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Prosa
 
Lágrimas Secas Mas Não Enxugadas
Por: Erasmo Manuel Vaz Contreiras

Eu neguei meu ser e trai meu âmago, quando a esta escrita li; porém, não aceitei-a sitia-la no meu eu. Agora, farei da certeza e da letra minha fiel pessoa, responsável pela caminhada que criei em torno do presente, porque fez dos meus olhos uma fonte viva de lágrimas secas mas não enxugadas.
Lágrimas que foram semeadas pelas incertezas da vida, quando a uma flor confiei meu amor pela sua beleza; quando ao meu sonho confiei meu futuro; quando aos homens de mãos cheias entreguei meu destino, quando se foi embora a abelha casada que parceirava minha alma.
O tempo fez secar minhas lágrimas, mas no íntimo do meu eu elas nunca foram enxugadas. Pois agora sou um canteiro de lágrimas secas mas não enxugadas.

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: NdOJ (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.