Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

João Victor Vasconcelos de Matos
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Poema
 
À meia-noite
Por: João Victor Vasconcelos de Matos

Já passa da meia noite
A rosa desabrochou
O galo ainda não cantou
Estamos naquele intervalo angustiante
Para uns, o choro não dura até a manhã
Para outros, o amanhã nada é além da continuação do hoje
Nada muda
Tudo permanece, continua
Usamos verbos de ligação para representar o mesmo estado
Em um estado emocional em que as ligações são fracas
Complicadas o suficiente para fazer o português parecer fácil
Rasas ao ponto de fazer acordar com o primeiro canto da granja
Hora de levantar
Um novo dia começa
Ou simplesmente mais um dia

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: UbBb (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.