A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco | CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Artigo
 
Greve da Paz
Por: Haroldo Pereira Barboza

Nota: este texto foi editado no formato ".txt" para permitir envio via smartphone.
Por isto pode exibir "erros de grafia".

Greve da paz

Para esvaziar as ruas. Apenas helicopteros da midia de outros Estados para testemunhar o fato.
Sem danificar patrimonio.
Sem presenca de black-bloc.

Este movimento a ser executado apenas no RJ (pode ser copiado por outros Estados no futuro)
tem por objetivo protestar contra a violência cotidiana desenfreada sob o olhar complacente
das "ortoridades" (pela omissao demonstrada nos da a certeza que muitos estao sendo
subornados pelos praticantes das atrocidades diarias) que nao adotam as efetivas acoes para
reduzirem a criminalidade a niveis suportaveis.

Nosso indice de crimes por dia deveria ser anual.

Esta greve deve ser projetada para dentro de 60/90 (iniciando as 3 da madrugada) dias a partir do momento que
este texto chegue ao conhecimento de liderancas lucidas de diversas categorias sociais. Com este tempo
de antecedencia, sera possivel efetuarmos a programacao para que o movimento consiga adesao de
pelo menos 95 por cento da populacao e ninguem seja apanhado de surpresa e fique sem transporte.
As excecoes ficarao por conta de servicos essenciais e dos que se locupletam da atual situacao de caos que nos envolve.
Aguardar as proximas eleicoes esta muito longe e talvez nao cheguemos vivos ate la.
Contamos com OAB-RJ, FIRJAM, SESC-RJ, igrejas, templos e terreiros para conscientizar seus adeptos.

Para quem esta atras do teclado descrevendo esta proposta, fica facil definir o que cada categoria
deve fazer para suspender suas acoes neste dia historico. Mas as liderancas de cada entidade
saberao adaptar a ideia para darem a necessaria colaboracao ao movimento e faze-lo adquirir credibilidade.
E importante que rejeitemos a participacao de vereadores, deputados e outros tipos de aproveitadores.

Empresarios, industriais e comerciantes APOIARAO este movimento pois a grande maioria tambem
tem sido vitima de bandidos que subtraem seus produtos nas dezenas de assaltos diarios nas
ruas de nosso perimetro. Bem como dentro de seus estabelecimentos.

Aqui vao algumas sugestoes, pois nao tenho gabarito para definir as acoes de TODAS as areas.
E ninguem tera paciencia para ler 10 paginas sobre o assunto.

OBS.: Trabalhadores que entraram no servico um dia antes e que deveriam ser rendidos por nova turma,
farao um sacrificio para esticarem sua jornada de trabalho sabendo que seus substitutos nao
sairao de casa (nem havera transporte publico) para apoiar o movimento. Entre estes, estao os
funcionarios das areas de saude, seguranca pública e particular, vigias, bombeiros, refinarias,
distribuicao de agua, gas e energia e assemelhados. Alguns com efetivo minimo. Questao de planejar.

Tirando estas excecoes, dezenas de areas ficarao inativas.

As radios sem reporteres nas ruas, contarao com apoio da populacao que de suas janelas poderao repassar
alguma anormalidade observada dentro de seu campo de visao. Estas radios podem tocar musicas nos demais momentos.
As TVs poderao exibir suas novelas e outros programas pois a maioria ja esta gravada.
Tambem exibirao videos de moradores que notarem algo estranho em sua vizinhanca.
Aeroportos da cidade devem comunicar ao resto do mundo que estarao inativos. Nao havera taxi para ninguem.
Os portos devem agir da mesma forma. Com trens, onibus, vans, taxis e caminhoes parados, nada sera transportado.
Porteiros nao abrirao portas de seus predios, pois os correios estarao parados e nenhum servico de
manutencao sera efetivado. Nem das provedoras de sinais de TV. Sem ela, aproveite para brincar com os herdeiros.
Resta decidir se jornais impressos serao editados (quem vai leva-los para as bancas fechadas? Quem vaicompra-los?)

Claro que neste dia nao teremos feiras nem atividades esportivas na cidade.
Mas poderemos assistir eventos de fora do Estado. E pelo facebook poderemos acompanhar as repercussoes de
nosso movimento sob o olhar externo.

Padarias nao abrirao. Vamos consumir pao de forma e biscoito por um dia. Nenhum restaurante abrira. Consuma barras de cereais.
Boates precisam fechar as 2 da madrugada sob pena de ficarem sem transporte.
Nao va ao clube, praia ou igreja. A ideia e deixar as ruas VAZIAS.

A faxineira nao vira. Marque-a para outro dia.Assim como medicos e exames.

Quem tiver um parente precisando de atendimento de emergencia, vai precisar de auxilio de ambulancia ou se
arriscar levando seu carro. Pela minha otica, esta e a parte mais dificil de equacionar.

Os impostos que deixarao de serem coletados nao farao falta nas areas publicas tendo em vista que mais de
90 por cento deles sao surrupiados pelos que nos colocaram nesta situacao.

Pelo menos UM dia a populacao estara livre e unida para perceber sua forca e arquitetar novas atitudes contundentes
para eliminar as ratazanas que se omitem em atender nossas demandas em prol do direito de viver sem angustia de um tiro
perdido. Temos de mostrar-lhes que nossos impostos devem ser destinados as areas coletivas para elevar nossa
qualidade de vida desprezada por aqueles que apenas legislam em causa propria.

Tudo isto (e mais o que eu nao detalhei) parece muito louco e monumental para ser disparado.
Mas e melhor do que ficar servindo de alvo para os elementos que comandam a cidade por falta de autoridade.

Haroldo - V. Isabel - RJ - julho/2017

Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: NZYV (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.