A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco | CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Artigo
 
INTELIGÊNCIA EMOCIONAL
Por: ANTONIO PAIVA RODRIGUES

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Um mal-estar social toma conta da população brasileira, existe indicador de um crescente desconforto emocional, sobretudo entre as crianças. No Brasil, a tendência é para um individualismo exacerbado, o que acarreta consequentemente, uma competitividade cada vez maior. A contestação é notada no ambiente de trabalho e no meio universitário. Essa visão de mundo traz consigo o isolamento e a deterioração das relações sociais. A lenta desintegração da vida em comunidade e a necessidade de autoafirmação estão acontecendo, paradoxalmente, num momento em que as pressões econômico-sociais estão a exigir maior cooperatividade e envolvimento entre os indivíduos.

Os pais, em nossos dias, exercem sua paternidade sobtensões e pressões de ordem econômica que não existiam na época de nossos avós. "Qualquer um pode zangar-se-isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na medida certa, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa-não é fácil”. (Aristóteles). Na verdade, as primeiras leis e proclamações sobre ética: o Código de Hamurabi, os Dez Mandamentos dos Hebreus, os Éditos do Imperador, podem ser interpretadas como tentativas de conter, subjugar e domesticar as emoções. Como Freud observou em O Mal-estar na Civilização, o aparelho social tem tentado conter o excesso emocional que emerge, como ondas, de dentro de cada um de nós.

Para o melhor ou a pior, forma como avaliamos situações complicadas com que nos deparamos e nossas respostas a elas são moldadas não apenas por nossos julgamentos racionais ou nossa história pessoal, mas também por nosso passado ancestral. "A própria raiz da palavra emoção é do latim movere" - "mover" -acrescido do prefixo "e" -, que denota "afastar-se", o que indica que em qualquer emoção está implícita uma propensão para um agir imediato. “A Inteligência Emocional é uma tese científica que vem pôr em questão certas visões estreitas que até hoje dominaram o conhecimento humano.

Numa época em que se multiplicam manuais de autoajuda, tentando nos adestrar para a felicidade, a ciência busca um guia para esta viagem pelos descaminhos da mente humana. Sem prescrever fórmulas mágicas, sem apontar terapias alternativas para a salvação da humanidade, historiadores mostram que conhecimentos científicos podem efetivamente atuar na transformação do homem. A incapacidade de lidar com as próprias emoções pode destruir vidas, acabar com carreiras promissoras".

Crimes hediondos, suicídio, abuso de drogas, imunidade, impunidade, são sinais alarmantes de uma sociedade doente e muito doente. Reflexo de uma cultura que só apostou no intelecto, relegando ao esquecimento o lado emocional do individuo. Inteligência Emocional é uma relação polêmica com o ser, mostra à importância de se considerar a emoção para se chegar a uma sociedade mais equilibrada e feliz. A Inteligência Emocional é um grito de alerta aos que pensam que a razão é a única responsável por nosso destino, polemico, inovador e inquietante. Um alto QI não é garantia de sucesso. A emoção pode dar a verdadeira medida da inteligência humana. A ausência de habilidade emocional pode ser verdadeiro motivo de tantos casamentos desfeitos. No mundo empresarial e universitário, o QI (Coeficiente Intelectual) alto consegue um bom emprego. O QE (Coeficiente Emocional) alto garante promoções.

A Inteligência Emocional veio para tratar das grandes questões da mente humana com argúcia e profundidade e deve ser inserida nas escolas nas séries fundamentais, é indispensável nas universidades para educar melhor o homem, para não deixá-lo aprisionado por suas emoções, para os políticos para aprenderem a lidar com o erário público, com a responsabilidade, incrementá-la nas classes mais baixas para que no futuro tenhamos uma população mais consciente. Enfim para todos. Ela veio com força total, dominando o famoso QI, e abrindo uma porta mais larga, para os homens de boa vontade. Vamos iniciar pela alfabetização Emocional, aprender a controlar as emoções, Quais os momentos oportunos, Inteligência Emocional Aplicada, sua natureza e o cérebro emocional. Nessas virtudes estas as belas nuanças da vida que servirão de elo do esplendor ao amor.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ACE- DA UBT- DA AOUVIRCE E DA ALOMERCE

Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: MedT (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.