Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 

E-mail:
Senha
       
        Cadastre-se
Esqueci minha senha
Homepage
Pensadores
Lazer e informação
Citações
Textos Fantásticos
Poemando
Provérbios
Estatuto do poeta
Peão diz cada uma!
Bíblicos
Contos e poemas de Natal
Básico de violão
Livrarias
Informática
Artes
Jornais
Revistas
Música
Televisão
Infantil

MUSIPOEMA

MUSIPOEMA
A HISTÓRIA DO ROCK IN ROLL
SER MÃE
AMIGO É...
AMAR É...
 

 

Busca

 
 
 
Artigo
 
O pior estágio de uma nação
Por: Ivan Postigo

O Brasil, como nação, perdeu-se no caminho.
A ideia, o conceito do povo pacífico, ficou no passado.
Roubos, falcatruas, crimes já não são novidades, nem assustam mais.
Pessoas se perdem na criminalidade e levam famílias à perdição.
Vemos muita religiosidade, pouca fé e corrupção, corrupção, corrupção...
Um Cristo a mais por dia na Cruz. Cruz que agora quem carrega é o povo, por sua própria insensatez!
Quem deveria cuidar do país, quem recebeu a incumbência, usa o manto para esconder malas e malas de dinheiro.
Dinheiro do povo, fruto da arrecadação de impostos, com muitas gotas de suor, transformando o país num verdadeiro inferno.
Não há educação, saúde, transporte e segurança aceitáveis.
Caos total. Policiais morrem todos os dias e quem se importa? Ou seria exagero da mídia, como ouvimos não faz tempo?
Seriam as chuvas de balas alegorias, mesmo fora do carnaval?
Genocídio nos hospitais, nas ruas carnavais, bebidas, drogas e todos os tipos de aberrações...
O mundo olha e não vê porque investir nesta baderna que se transformou o Brasil.
E, qual o futuro?
Quem sabe um condenado na Presidência da República?
Senadores, Deputados, Governadores, Prefeitos, Vereadores, todos, foram eleitos com caixa 2, segundo se ouve nos corredores da política.
Então, que representante melhor não teriam no cargo máximo da República, do que um condenado? Afinal, estamos todos, também, condenados...
O povo, ora o povo!
Lembrem-se: se o condenado chegar a ocupar o cargo, o povo é que o colocará lá. Isso se não forem as suspeitas urnas.
E o voto impresso? Dane-se o voto impresso! Quem é o povo para exigir alguma coisa? - Palavras de Brasília!
Mas, teimosamente volto à questão, e o povo? Ora, o povo voltará à sua insignificância, à sua miséria e à fila das mortes nos hospitais, por causa de doenças e balas perdidas.
Assim seguirão as pessoas e as balas: perdidas.
Chegamos, então, ao pior estágio de uma nação: a fatalidade, que faz com que balas e pessoas perdidas se encontrem!
Como sempre diz um grande amigo: - Deus cuide desta nação...
Sim, sim, mas eu acredito que para nossa geração não há mais tempo!

Ivan Postigo
Economista, Bacharel em contabilidade, pós-graduado em controladoria pela USP
Autor do livro: Por que não? Técnicas para estruturação de carreira na área de vendas
Postigo Consultoria de Gestão Empresarial
Fones (11) 4496 9660 / (11) 99645 4652
[email protected]
Twitter: @ivanpostigo
Skype: ivan.postigo
Blog http://gestaodealtoimpacto.blogspot.com.br/
Blog http://benditobemfeito.blogspot.com.br/
Pinterest https://br.pinterest.com/dasilva5548/

 Comente este texto

 

Comentário ()

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: NGLb (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.