A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

JOSE ROBERTO TAKEO ICHIHARA
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Crônica
 
Genialidade e o preconceito
Por: JOSE ROBERTO TAKEO ICHIHARA

Como mudar o ponto de vista?


A humanidade sempre deu importância às pessoas que ocupam cargos de destaque. Reverenciaram reis, aceitaram a escravidão, temeram os guerreiros conquistadores e acreditaram nos profetas. No mundo das artes e das ciências, graças a genialidade de alguns que nem ocupavam cargos de alta relevância, o legado deixado beneficia direta ou indiretamente pessoas de todas as nacionalidades. Por que então, com tanto avanço tecnológico oferecido, ainda dependemos da atuação de grupos seletos? Espera-se um gênio revolucionário deste meio?
Felizmente a História mostra que nem sempre o ocupante de um cargo importantíssimo foi o responsável pela revolução, em qualquer atividade que seja. Sabe-se que pessoas ocupando cargos insignificantes ou exercendo atividades secundárias tornaram-se referências. Por outro lado, o reconhecimento tardio dos grandes feitos pode cometer injustiças e desestimular a criatividade individual de muitos potenciais beneficiadores da sociedade. Soa estranho num mundo essencialmente materialista, mas nem todos se dedicam somente a ganhar muito dinheiro.
O que se espera de um coordenador de um núcleo de pesquisas científicas de ponta? Provavelmente a descoberta de algo útil para a humanidade, mas principalmente que dê muito lucro aos acionistas do negócio para compensar o investimento. Não é desta forma que vemos o mundo contemporâneo? Ou seja, os cientistas não estão trabalhando apenas para descobrir cura de doenças, métodos mais produtivos para realizar tarefas ou materiais que podem ser aplicados com melhores resultados nos processos de fabricação. Humanismo passa longe deste ambiente!
Quem foi considerado o maior gênio do século XX, no mundo científico? O meio reconheceu o físico judeu-alemão Albert Einstein. Quais cargos ele ocupou antes de se tornar famoso mundialmente? Foi professor numa escola secundária e técnico especializado no Departamento Oficial de Registro de Patentes de Berna, ambos na Suíça. Pela imponência desses cargos era possível imaginar que seria o pai da Teoria da Relatividade? Verdade ou mentira, alguns registros dizem que ele não era um aluno brilhante. O preconceito bloqueia muita coisa.
Indiscutível a utilidade do computador nos dias atuais. Agiliza cálculos, arquiva uma quantidade enorme de informações, aumenta a confiabilidade nos processos... controla e operacionaliza qualquer atividade produtiva. Mas o embrião disso tudo foi desenvolvido durante a Segunda Guerra Mundial, pelo matemático britânico Alan Turing, com a finalidade de descobrir os códigos utilizados pelos alemães. O disfarce do projeto era uma fábrica de rádios. Mas apesar do objetivo atingido ele foi penalizado por ser homossexual. Sua genialidade foi ofuscada por isso!
Para sair da precisão do mundo científico, onde os resultados são facilmente mensuráveis, citamos o pintor holandês Vincent Van Gogh. Sobreviveu às custas do irmão, Theo, esteve internado em sanatório e hospício, cortou uma orelha e até tentou o suicídio com um tiro no peito, mas só morreu depois, nos braços do irmão, pobre, aos 37 anos. Do acervo de mais de 800 telas, só vendeu um quadro em vida, o Vinhedo Vermelho. Décadas depois suas obras alcançaram valores estratosféricos no mercado das artes. Os problemas mentais não bloquearam seu talento.
Vive-se um momento de grandes expectativas quanto ao destino do mundo. Uma guerra nuclear por causa da pendenga que surgiu entre os Estados Unidos e seus aliados contra a Coreia do Norte? Retaliações no comércio mundial depois das sobretaxações do Tio Sam, nos produtos comprados de outros países? Fechamento de Embaixadas e expulsão de ocupantes delas, em decorrência do impasse sobre o envenenamento do ex-espião russo em solo britânico? O destino do planeta está nas mãos de burocratas e tecnocratas. Será que surgirá um gênio deste meio?


J R Ichihara
03/04/2018

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: cYaJ (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.