A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Agenivaldo Almeida Silva
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Artigo
 
Estou perdido, o que fazer...?
Por: Agenivaldo Almeida Silva


Texto Base - Mateus 18:11
11 - Porque o Filho do homem veio salvar o que se tinha perdido. Mateus 18:12-14
12 - Que vos parece? Se algum homem tiver cem ovelhas, e uma delas se desgarrar, não irá pelos montes, deixando as noventa e nove, em busca da que se desgarrou?
13 - E, se porventura achá-la, em verdade vos digo que maior prazer tem por aquela do que pelas noventa e nove que se não desgarraram.
14 - Assim, também, não é vontade de vosso Pai, que está nos céus, que um destes pequeninos se perca.

Introdução:
Uma das coisas mais lindas são as mensagens pronunciadas por Jesus. Suas mensagens eram sem iguais. Seus milagres eram sem iguais. Tudo que Jesus fazia era único... Cada mensagem, cada palavra, cada momento de Jesus sempre foi para ensinar que ele veio para salvar o pecador. Suas mensagens eram diretas e com objetivo de mostrar o caminho certo. Veja como dizia em Mateus 7:13-14 “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; - E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.” Jesus sempre se preocupou em mostrar para as pessoas a verdade sobre a perdição, mas mesmo fazendo isso, mostrou também a solução para os perdidos. Veja o texto: João 14:6 “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.”
Certa vez referindo-se sobre as pessoas perdidas no texto de Mateus 15:24 - E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.
Jesus sabia que os perdidos eram muito importantes para Deus e que sua missão tinha um objetivo claro de salva-los da perdição eterna. E isso estava restrito em fazer cumprir a sua obra aqui e mostrar porque ele veio fazer e cumprir, e com isso ensinava também a seus discípulos a fazer mesmo. “Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel; Mt 10:6”.
Em seus grandes sermões evangelísticos sobre Lucas 15, Charles H. Spurgeon expressa um pensamento semelhante quanto à unidade desse capítulo, que é tão cheio de graça e verdade. Ele diz: "As três parábolas registradas neste capítulo não são repetições; as três declaram a mes¬ma verdade central, mas cada uma delas revela um estágio diferente dessa verdade. As três parábolas são três lados de uma pirâmide da doutrina do evangelho; mas há uma inscrição diferente sobre cada um deles. Não apenas na seme¬lhança, mas também no ensina¬mento contido nessa semelhança, existe diversidade, progresso, amplificação e discriminação. É só ler¬mos atentamente e descobriremos que nessa tríade de parábolas te¬mos de uma só vez a unidade da verdade essencial e as diferenças de descrição. Cada uma das pará¬bolas é indispensável à outra e, quando combinadas, nos presentei¬am com uma exposição muito mais completa de sua doutrina do que seria comunicada por qualquer uma delas em separado".
Antes de iniciarmos um estudo dessas três figuras separadamente, a fim de notarmos as características especiais de cada uma, lidaremos com elas coletivamente para enten¬dermos a repetição da mesma dou¬trina, ensinada sob metáforas dife¬rentes. O ponto de destaque em cada símile, que o nosso Senhor usou, foi ao mesmo tempo a preocupação por algo perdido e a alegria ao recuperá-lo. No coração dessa obra de arte em literatura parabólica, as ovelhas, a moeda e o filho estavam perdidos e todos eram dignos de serem salvos. Perder uma ovelha era algo sério; porém, mais sério ainda era perder dinheiro e, pior do que tudo, perder um filho. Uma ovelha é valiosa; o di¬nheiro é ainda muito mais valioso; mas o filho é o mais valioso de todos.
Certo de sua missão para com as ovelhas perdidas de Israel, Jesus explicou de várias formas sobre a necessidade de se encontrar quem esta perdido. Mas de fato o que significa estar “perdido”. Temos varias ideias do que se pode pensar a respeito disso. Primeiramente “perdido” é alguém que não sabe que decisão tomar, a que lugar chegar, é como se estivesse numa grande mata sem direção e sem rumo em outras palavras está perdido. Porém pode ser também uma pessoa que deseja respostas para sua vida e diante de uma encruzilhada de problemas em sua mente não consegui tomar decisões e diante disso esta perdida em suas confusões. Pode também definir que possuía algo ou coisas que de repente perde e não consegui encontrar, por esta razão este objeto ou coisas esta perdida e não consegui encontrar.
Em relação em alertar o perdido Jesus dedicou um capítulo inteiro com este assunto, pelo quais nos ensinam grandes verdades. Vamos analisar esta passagem do ponto de vista de Jesus e contextualizar para os nossos dias: Vejamos. No capítulo 15 do Evangelho de S.Lucas Jesus relata três parábolas relacionadas justamente aos perdidos. Na primeira parábola ele fala sobre as cem ovelhas sendo que uma delas se perdeu e o pastor deixando as 99 no curral, no aprisco vai à busca da ovelha perdida, já na segunda parábola Jesus observa que certa mulher havia perdido uma dracma e a procura diligentemente por toda a casa. Já na terceira parábola Jesus relata uma história de um jovem que tinha tudo em casa e em busca de aventuras pede a herança ao pai e vai embora de sua casa deixando o pai a sua espera. Vamos analisar aqui neste texto três situações distintas que acontece hoje em dia, que geralmente nunca é percebido, mas é real.

1º) PERDIDOS DENTRO DA IGREJA – (Lucas 15:3 -7)

"Então Jesus lhes contou esta parábola: “Qual de vocês que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma, não deixa as noventa e nove no campo e vai atrás da ovelha perdida, até encontrá-la”? E quando a encontra, coloca-a alegremente sobre os ombros e vai para casa. Ao chegar, reúne seus amigos e vizinhos e diz: ‘Alegrem-se comigo, pois encontrei minha ovelha perdida’. Eu lhes digo que, da mesma forma, haverá mais alegria no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam arrepender-se".
A gente percebe que Jesus por muitas vezes para explicara vida do homem ele fala da ovelha e do pastor, sendo ele mesmo como o pastor. Neste texto Jesus fala da ovelha que esta perdida, enquanto que o pastor deixa as 99 no aprisco e vai à busca da ovelha perdida. Para entendermos um pouco sobre isso vamos comparar o campo como uma igreja.
Em outras palavras as ovelhas estavam bem cuidadas dentro da igreja (campo). As cem ovelhas tinha todo o respaldo necessário, boa comida, água fresca, descanso merecido, cuidado do pastor, mas um fato nos chama a atenção uma ovelha estava perdida ela deixa todo conforto do pastoreio e se torna desgarrada perdida. A lição que aprendemos aqui de fato é que a ovelhinha já estava perdida dentro do próprio campo, mas não percebe a sua situação tornando uma ovelha desgarrada vinda a se perder.
A ovelha estava perdida e sabia disso. Tinha uma vaga ideia de que estava sem as suas companheiras e os cuidados do pastor. Desviou-se das outras por causa da curiosidade. Ao observar um buraco na cerca, saiu e, sem rumo, afastou-se das outras, ou então comeu coisinhas aqui e aco¬lá longe do pasto, vagou na direção oposta e se separou do pastor e das outras ovelhas. Tal ovelha represen¬ta aquele tolo e descuidado tipo de pessoa que anda sem rumo, e afas¬ta-se totalmente de Deus. Felizmen¬te, a ovelha foi alcançada pelo pas¬tor que a procurava, e trazida de volta ao aprisco.
Hoje em dia são muito comuns pessoas perdidas dentro da igreja, estão lá por estarem. Não tem compromisso com Jesus apenas vão à igreja. Estão cantando nos grupos de orações, corais, jovens etc., mas estão perdidas dentro da própria igreja. Não conhece as Escrituras e não ama a Palavra de Deus, vivem de fachada de mentiras e de uma vida de engano a si mesmo e a outros. São pessoas vazias de espíritos sem direção na vida sem rumo certo, confusas e solitárias.
São presas fácil para lobo e geralmente são pessoas que criticam tudo as suas volta e faz intrigas e fofocas, por não ter compromisso com o reino de Deus. São ovelhas perdidas de Israel. precisa ser encontradas com urgência antes que cai no precipício ou o lobo mata-la. Mas o maravilhoso é que o bom pastor que dá a vida pelas suas ovelhas sai em busca dela até encontra-la e quando a encontra coloca nos ombros e chama os amigos e faz uma grande festa porque a sua ovelha estava perdida, mas agora foi achada.
"Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas" (João 10:11).

2º) – PERDIDOS DENTRO DE CASA - Lucas 15:8-10

- Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? - E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. - Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
O que vemos neste texto é algo importante. A mulher possuía dez moedas e perde uma, ao perceber a perda desta moeda busca diligentemente, acende a candeia, e varre a casa até que a encontre. Então feliz convida suas amigas para vir se alegrar com ela. Vemos três coisas aqui de suma importância. Primeiramente uma moeda era algo valioso, de soma importante, uma dracma, era uma moeda de prata com estimável valor. A dracma é igual ao denário (moeda dos conquistadores romanos). Eles estabeleceram que o preço de um dia de trabalho para um trabalhador braçal equivaleria a 1 denário. Assim podemos imaginar o que um trabalhador braçal ganha por dia.
Segundo lugar esta moeda de prata foi perdida dentro de casa e não foi encontrada até que depois de procura-la bastante encontrou. A moeda de prata estava perdida, mas, por não ser uma criatura viva, não tinha consciência ou sensação de estar ex¬traviada. Ainda mais, a sua condi¬ção de estar perdida não lhe causou nem desconforto nem ansiedade. A moeda de prata estava perdida, não por qualquer característica de infe¬rioridade em sua composição ou seu processo de fabricação. Estava per¬dida, ou porque foi manuseada de forma inconveniente, ou porque foi derrubada sem querer. Temos sim¬bolizados aqui os pecadores perdidos que são ignorantes sobre si mesmos e estão passivamente nas mãos da¬queles com quem se associam. Es¬ses são facilmente manipulados por personalidades mais fortes. A moe¬da permaneceu imóvel até ser acha-da no lugar onde fora derrubada.
Terceiro Lugar. A mulher dona da casa procura de todas as formas encontrar esta valiosa moeda. Ela primeiramente acende a candeia para pode clarear melhor o ambiente e assim poder encontrar e depois varre toda a casa até que depois muita procura encontra. Vamos pensar um pouco, primeiramente vemos que ela perdeu algo valioso dentro de sua casa, uma moeda de prata. Uma das coisas mais valiosa dentro de uma casa é a família. Não existe tesouro maior que isto. A família é a base de uma sociedade bem ajustada, é o princípio do lar, e uma família desestruturada, a sociedade também sofre com esta dificuldade. Hoje em dia o que vemos famílias sendo destruídas pelas drogas, pelo alcoolismo, por uma vida desregrada, com motivos torpes e com isso em muitos casamentos estão destruídos com mentiras, adultérios, pornografias infantil etc. O que de fatos vemos estão perdidos dentro de casa, sem auxilio, sem ajustes sem aconselhamento e sem vida próprias. Dentro de uma família, filhos e filhas, pais e mães não se entendem, brigam e vive um inferno em vida, porque as trevas tomam conta, já não tem a presença da Luz e a vida que era pra ser uma família em harmonia é só contendas e todo tipo de confusão. Única solução é acender a Luz e limpar até encontrar o que esta perdido dentro de casa. E assim convidar os amigos para se alegrar porque encontrou a moeda de prata que havia perdido. “Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. - Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende”.

3) – PERDIDO NO MUNDO – Lucas 15: 11 - 32

11 - E disse: Um certo homem tinha dois filhos; 12 - E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. 13 - E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. 14 - E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. 15 - E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos. 16 - E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. 17 - E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!. 18 - Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; 19 - Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. 20 - E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. 21 - E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho. 22 - Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; 23 - E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos; 24 - Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado.
Esta é uma das histórias mais fantásticas que Jesus relata para ensinar os seus discípulos a entender o significado de quem abandona o privilégio de viver bem com sua família por uma escolha para viver todos os prazeres que o mundo oferece. Aqui Jesus fala de um pai que tinha dois filhos e o mais moço pede sua parte da herança e vai para longe gastar o que o pai repartiu e suas consequências que encontra com amigos e gasta todos seu dinheiro e sem condições arruma um trabalho para alimentar os porcos. Ali com fome longe de seu pai deseja comer desta alimentação que só os porcos comiam. E assim triste solitário sente saudades de sua casa e o desejo de retornar para sua casa, mas receia de como receberia seu pai. Pensando nesta situação resolve voltar para sua casa e encontra novamente com seu pai, que ao encontrar seu filho convida amigos da uma festa, manda matar um bezerro cevado e junto se alegram porque ele estava perdido e foi achado.
Vamos observar esta história um pouco mais do ponto de vista de quem se encontra perdido neste mundo. A palavra mundo tem várias ideias sobre ela mesma. O exemplo disso pode encontrar que ela significa diferentes sentidos para a língua portuguesa. A palavra “mundo” “Kosmos” é um substantivo grego que significa “o mundo ou o universo” ou aquilo que é divinamente organizado. “kosmos” arranjo, ordem harmoniosa. Esta palavra é usada para denotar de três formas:
a) - Terra. Genesis os 1:1. E Deus criou os céus e a terra. Atos 17:24 - O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens. ( Mt 13:35 – João 21:25)
b) – Humanidade – João 3:16 - Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (Mt 5:14 – João 1:10 – 3:16 – 17 – 19 – João 4:42)
c) – Sistema de coisas - I João 2:15 – 17 - Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. - Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.
Entendemos que o “mundo” pode ser definido de três formas. Terra, criada por Deus, a humanidade também e o sistema de coisas, onde esta os fatores de tudo que do prazer ao homem e por isso é conhecido como a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida que aos olhos de Deus é chamado de pecado, e por esta razão o cristão não pode viver neste sistema. Tiago diz Tiago 4:4
- Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.
Na parábola ilustrada por Jesus sobre o filho pródigo aprendemos que ele deixou o convívio de sua casa para ir viver dissolutamente conforme desejava, gastando todos os recursos que possuía e foi viver juntamente com os porcos, isto custou lhe uma vida de sofrimentos e amarguras e solitário desejou comer as alfarrobas dos porcos. Longe de casa e de todos sentiu saudades de seu pai e de sua família.
Lá onde se encontrava sentiu-se perdido, sem estimulo para retornar, mas no ponto crítico de sua vida resolveu que tinha que voltar, embora sem forças, mas decidido a fazer isso e retornar par sua família.
Quando muitas pessoas estão sem a proteção de sua família, e o aconchego de seu lar estão perdidas num mundo de sofrimento e desilusões. Percebemos isto no mundo onde pessoas nas drogas, e todo tipo de vício e tantos outros males faz com que estas pessoas se sintam perdidas num mundo sem Deus e sem amor.
Lá fora onde os pecadores estão percebemos que todo tipo de pecado assolam vidas preciosas aos olhos de Deus. Estas pessoas se encontram nas mais diversas formas de sofrimento, sem paz a procura de uma solução e não encontram porque não sabem mais o caminho de volta aos braços daquele que o amou.
O pecado e o diabo acabam cegando as pessoas para que elas não vejam mais a Glória de Deus, e assim continuam em trevas tão medonhas. Nesta história do filho prodigo aprendemos algumas lições de suma importância e a primeira delas é que o Pai do filho mais moço, não vai atrás de seu filho, pelo contrário ele fica em sua casa com uma única atitude, esperando o filho voltar.
Esperar é algo que aos olhos do pai, parece severo demais, mas ele sabia que precisava dar tempo ao filho e ele com o passar dos dias reconhece isso que precisava retornar.
Segundo lugar: Ele toma uma decisão, e levanta-se do chiqueiro dos porcos e vai ao encontra de sua casa e de longe avista o seu pai que também avista ele de longe e depois se abraçam e se beijam.
18 - Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; 19 - Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. 20 - E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. 21 - E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho.
Terceiro Lugar: ele reconhece que errou e disposto a uma mudança. Ao reconhecer que estava errado e sem mais condições de sobrevivência, diz ao Pai que havia pecado e que não era digno de sentar-se mais na mesma mesa que sua família, mas o pai manda então matar uma novilha e numa grande festa convida os vizinhos e amigos para se alegar com aquele que estava perdido mas que agora foi acho.
Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; 23 - E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos; 24 - Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado.
Mas no desfecho final desta grande festa percebemos um quarto ponto o filho mais velho, que ficou indignado com o pai por ter recebido seu irmão e dado um festa e ele nunca havia ganhado nada, mas o pai compreensivo diz a ele que ele sempre teve tudo, ao contrario de seu irmão que perdeu tudo.
E começaram a alegrar-se. 25 - E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças. 26 - E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. 27 - E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo. 28 - Mas ele se indignou, e não queria entrar. 29 - E saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos; 30 - Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado. 31 - E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas; 32 - Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou-se.

Conclusão. Estas parábolas nos ensinam que Jesus está a procura daquele que se encontra perdido, como o Bom Pastor que cuida das ovelhas ele deseja congrega-las todos num só lugar em seu aprisco. Isto nos conforta, porque sabemos que a nossas vidas por mais difícil que seja temos o conforto do nosso Sumo Pastor que no ama e cuida de nossas vidas.

 Comente este texto


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: KQZK (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.