A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Geraldo Esteves Sobrinho
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Artigo
 
A vaca foi para o brejo!
Por: Geraldo Esteves Sobrinho

A VACA FOI PARA O BREJO!

Geraldo Esteves Sobrinho


Quanto eu pagaria por um copo de leite puro, vendo-o sair da vaca com estes olhos que a terra há de comer?
Para responder esta pergunta precisamos elaborar outra: considerando que a base da saúde é uma alimentação saudável, o que tenho oferecido ao meu organismo?

Ontem (29/07/12) comprei um litro de leite, desses de caixinha sabe? Qual não foi meu espanto quando constatei que o prazo de validade é de 5 (cinco) meses, isso mesmo, repito em alta e boa redação: CINCO MESES.
Em minha ignorância ainda acreditava que a validade era no máximo de 3 (três) meses. Ledo engano! Já não se faz leite como antigamente, ou, melhor escrevendo, já não tomamos leite como nos bons tempos de outrora!
Imaginem quanta porcariada química (e me desculpem os que militam pelo campo da nobre ciência) temos que engolir em nome dos interesses mesquinhos das indústrias do setor.

E ainda temos que suportar o teatro dos governos, preocupados com o alto índice de obesidade, câncer etc, como se não soubessem a verdadeira causa dessa pandemia. Mas a ganância também é filha do egoísmo, e o egoísmo tem sido a fonte de muitos males, de muitas dores.
Sabe quanto eu pagaria por aquele copo de leite mencionado no topo deste artigo de protesto? O dobro; acho justo. Injusto é o que se tem permitido fazer em nome do dinheiro fácil. Pagaria mais caro também pela carne, verduras e legumes puros.

É meu respeitável consumidor, a vaca foi para o brejo faz tempo!
Minha sugestão? Vá lá: faça igual a mim, procure consumir apenas o necessário, sem exagero. Carnes para mim, só peixe e frango e não precisa ser a semana inteira. E se puder ter em casa aquela vaquinha “sagrada” e a horta exuberante, a saúde agradece.
Se não gostarmos e cuidarmos de nós mesmos, quem o fará?

 Comente este texto
 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: YLCF (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.