Seleção de Livros! Clique e confira.

A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 

E-mail:
Senha
       
        Cadastre-se
Esqueci minha senha
Homepage
Pensadores
Lazer e informação
Citações
Textos Fantásticos
Poemando
Provérbios
Estatuto do poeta
Peão diz cada uma!
Bíblicos
Contos e poemas de Natal
Básico de violão
Livrarias
Informática
Artes
Jornais
Revistas
Música
Televisão
Infantil

MUSIPOEMA

MUSIPOEMA
A HISTÓRIA DO ROCK IN ROLL
SER MÃE
AMIGO É...
AMAR É...
 

 

Busca

 
 
 

 

Walquiria Rocha Machado
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Conto
 
Tudo por causa de um pastel!!!
Por: Walquiria Rocha Machado

Minha filha caçula era muito mais nova que os irmãos mais velhos, era a raspa do tacho como se dizia antigamente, por isso todas as vezes que a levava em algum passeio carregava comigo duas sobrinhas filhas da minha irmã caçula, que tinham idades parecidas e o filho do meu irmão que era viúvo então este sobrinho era a extensão dos meus filhos.

Fomos ao Play Center naquele dia maravilhoso onde todos os quatro estavam radiantes, eram quatro crianças de cinco a oito anos e que eu estava acostumada a carregá los sempre e com muitas histórias divertidas sobre nossos passeios.

Aquele dia não foi bem assim, paramos no quiosque de pastel, para a alegria de todos e como de costume o comerciante quebrava a pontinha deles para sair replicas de relojes españa o ar quente e não queimar a boca na primeira mordida, mas ele se esqueceu deste procedimento no último pastel, então eu quebrei a pontinha e a comi automaticamente, em seguida dando o pastel para a caçula dos quatro.

Eis que ela teve um piti por eu ter comido a ponta do pastel dela, depressa ofereci a ela outro pastel inteirinho e ela se recusava a aceitar, gritando que queria aquele e exigia que eu colasse outra vez a pontinha que eu havia comido de qualquer jeito... de repente ela saiu caminhando sem rumo e chorando muito, gritando que queria a mãe dela e eu larguei os outros na barraca e corri atrás da pequena tentando convencê la a voltar...

Nada fazia ela mudar de ideia, foi quando avistei um segurança do Parque e contei a ele o ocorrido e pedi para que ele lhe desse uma bronca dando lhe um susto e falasse para ela me obedecer... e assim foi feito e por medo dele ela se acalmou e voltou comigo engolindo o choro e ainda inconformada...

Confesso que passei um sufoco danado naquele dia, com tantas crianças ainda pequenas e mais sufoco ainda com o escândalo que a sobrinha tão lindinha de olhos verdes e carinha de anjo me aprontou...

 Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: OaHV (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.