A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Crônica
 
Em quem votar, professor?
Por: Ivone Boechat

Em época de eleições, o educador deve ter a postura daquele que trabalha para ajudar a construir a base fundamental da consciência cívica. Isto tem sido deixado de lado, muitas vezes. O professor, sufocado por todos os tipos de necessidades e com uma paciência de Jó, senta-se frente à tv, carregado de promessas dos caçadores de votos. Aflições particulares não devem transpor os muros da escola e contaminar a sala de aula. As crianças querem saber a opinião do seu professor. Dê essa aula, professor, mas aula e não comício deste ou daquele partido.

A Escola deve ensinar a votar, sim. É difícil? É, muito difícil, porque os políticos querem vencer as eleições e nem sempre têm um bom exemplo registrado. A vida política de alguns é imprópria para 18 anos. As promessas entusiasmam: melhores instalações, pratos fundos de comida e um enquadramento só visto na China. Ou discurso é só de críticas. Prometem tudo e desconstroem tudo. Em quem votar?

O professor deve demonstrar maturidade no ato importantíssimo de votar. Principalmente, na tarefa de ensinar a votar. As opções se reduziram muito nesse pleito. Escolher pela folha de serviços prestados? Selecionar pela ideologia? Riscar do mapa aqueles que, em outras oportunidades encheram os bolsos? Ficha limpa?

Os debates na televisão estão ai mostrando o perfil de cada candidato e o professor tem a obrigação de assistir a estes exames orais. Toda a atenção deve ser concentrada em cada frase, em cada gesto, em cada proposta. O professor, como integrante juramentado do processo educacional tem o compromisso de, através das eleições, ajudar no saneamento desta sociedade tão desnutrida de esperança. O espaço de atuação do educador ultrapassa as fronteiras do palanque, ele tem o poder da doutrinação diária. Na história deste Brasil magnífico e mal amado pelos políticos, os verdadeiros heróis desta pátria são os brasileiros.

Em quem votar, professor? Não leve a sua decisão para a sua turma. É perigosa a postura de certos mestres. Não se entrega pronta a resposta ao estudante, todavia, com um esclarecimento objetivo do universo de cada candidato, com uma crítica estruturada, insistindo sempre sobre o compromisso do dever cívico, ajuda-se na tomada de decisão.

Votar é o efetivo exercício da cidadania. É na urna que todo brasileiro é igual perante a lei. Claro, se não houver corrupção no processo eleitoral.

Ivone Boechat

 Comente este texto



Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: EVNE (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.