A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Matosinho Serafim da Silva
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Conto
 
VIAGEM DE FÉRIAS NA GARAGEM
Por: Matosinho Serafim da Silva

Bom dia, meu bem! ajunta as coisas para colocarmos no carro!...
Prepare a mala. Não se esqueça de levar as sandálias.
Sabe como é... Os pés incham quando a viagem é longa!... E sempre acontece a mesma coisa, todo ano. As reclamações de dores aqui e acolá.
Ah! Sim! Não deixa de levar nossos analgésicos, os livros e os brinquedos das crianças.

Férias!... Malas!... Sandálias!... Remédios!... Livros!... Que droga! Temos que estar nos lembrando de momentos... Problemas do passado? – Sempre a mesma coisa! – Estou ficando já de saco cheio!... Quer saber? Não vou mais à lugar nenhum, e ponto final!... – E começa tirar do porta-malas toda bagagem, ali colocada.

Por favor, papai!... Convença mamãe! - Entra ano e sai ano, só contamos com as férias da escola e o tempo passa tão depressa! Não deixa que percamos essa oportunidade!... Talvez a última!... Vamos lá... Pé na estrada!...

Amor! Amor! Calma meu bem!... Tomando de suas mãos, e recolhendo no chão: sacolas, bolsas, malas e sandálias nas sacolas... Coloca novamente toda bagagem no porta-malas do seu carro. Ao fechar a porta, batendo-a despercebidamente, acerta o seu dedo. Por sua vez, sussurrando, ele grita de dor... E xingando, diz: merda! merda! que merda!... de carro... de viagem... de férias... E sentou-se no chão da garagem.

O seu dedo está roxo, mas não quebrou, não tem corte e nem está sangrando! Menos mal... Pense na nossa viagem. Enquanto isso, ela se lembra de levar também a malinha de medicamentos que outrora ficara para traz.

Novamente o casal de filhos, com seus semblantes demonstrando cansaço, suplicam aos pais: Por favor, liga o carro! Está ficando tarde e nós estamos ainda aqui nesta garagem!...

Tudo bem, filhos!... Vamos nessa!!! Entremos e coloquemos os cintos!... Ah, sim, vamos orar antes de partirmos. Assim o fizeram:

“Pai nosso que estais nos Céus, santificado seja o Vosso Nome, venha a nós o Vosso Reino, seja feita a Vossa vontade, assim na terra como no Céu, o Pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas Livrai-nos do mal”. – Nós contamos Contigo Senhor! Leva-nos e traze-nos. Em nome de Jesus. Amém!

Tudo em ordem? Vamos lá?... E virando a chave na ignição... Nada! Nada do carro funcionar! Somente um barulho estranho no motor e fumaça pra todos os lados. Ele se debruça no volante e muito aborrecido diz: Deus não quer que viajemos! Ele não está permitindo que peguemos estrada alguma!... Meu Deus, meu Deus! Por que isto está acontece conosco?... Aonde foi que eu errei ou que erramos?...

Nesta hora, as crianças dormiam no banco de traz. Paralisadas, inertes, num silêncio profundo, embora, se ouvia seus suspiros entre os sons de pequenos soluços.

Encostada, quase que caída entre a porta e a quina da poltrona do carro, já silenciada... Com os olhos fechados, não que dormia, mas que falava ao seu esposo e filhos: “Gente! Chegamos! Já estamos em casa! – A nossa viagem foi a melhor de todas as ocasiões. Vejam que não sofremos nenhum acidente! Olhem nossa bagagem, ela está intacta! Nossa reserva financeira, sem nenhuma subtração em nossos bolsos e em nossas contas”.

Abraçando fervorosamente a sua esposa, ele a beija. Num pequeno espaço de tempo parecia formular diferentes palavras à lhe proferir, e estendendo o seu braço direito na direção do banco traseiro, o apóia sobre os colos das crianças que dormiam de fato.

O menino mais velho se meche... Acorda... Dá um sorriso e expressa o seguinte: Pai! Mãe! Eu tive um sonho! – O que você sonhou filho? Pergunta o pai. – Sonhei que Deus veio aqui em casa e disse entre nós que não era para viajarmos, por enquanto. Que tivéssemos um pouco de paciência que estava pra chegar para nós um carro novo, aquele que o senhor sempre preferiu. E que mamãe precisaria de um pouco mais de tempo, para entregar suas encomendas, que lhe renderiam um grande valor pelo reconhecimento dos seus trabalhos, e que este é o meu melhor momento para eu dedicar-me aos preparativos para o vestibular de medicina.

Com a alegria estampada em seus rostos, foram saindo do carro, um a um. O cachorrinho da família, que por esquecimento de todos, não foi colocado dentro carro, veio correndo em disparada e latindo com alegria estampada em sua carinha, na direção de todos, ainda na garagem.

Ao se adentrarem na sala, os pais e os filhos seguram nas mãos, uns dos outros e agradecem à Deus em oração, pela viagem que não fizeram, pelas férias que não tiveram, mas pelos sonhos que juntos sonharam e se sentem realizados com as promessas que Deus vem lhes preparando a todo momento.


Matosinho Serafim da Silva.
Gov. Valadares – MG, 04/04/2019
Quinta-feira – 13:54

 Comente este texto



Comentário (1)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: McRO (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.