A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

JOSE ROBERTO TAKEO ICHIHARA
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Artigo
 
Torcida contra, perseguição da midia ou falta de rumo?
Por: JOSE ROBERTO TAKEO ICHIHARA

Se os de casa não se entendem...


Tornou-se corriqueiro que após declarações do presidente Bolsonaro ou de qualquer dos assessores próximos, a mídia seja criticada pelos que apoiam e acreditam na gestão do novo governo, por causa da forma como as manchetes tratam as notícias palacianas. Por isso as redes sociais, o forte aliado do Mito, postam feitos dignos de elogios e questionam o porquê dessas notícias não chegarem ao conhecimento público. Curioso é que nem o veículo de comunicação oficial é utilizado para isso. Será que a indesejada prática do fake News continua em alta?
Mas uma gestão pública que se sente incomodada quando as notícias são desfavoráveis pode conviver civilizadamente num regime democrático? Ou a forma autoritária, onde o adversário merece ser exterminado do cenário político, é a única forma de resolver os problemas deixados pelos antecessores? Se em cem dias, o novo comandante do país ainda não souber como enfrentar os desafios... a impaciência e o questionamento sobre a escolha começam a tomar forma. Não soa estranho alegar que desconhecia a situação da Previdência? Ele não ia votar?
Aos que vibram quando o governo anuncia corte de verbas em alguma atividade pública, tipo Universidades e incentivos culturais, a oposição questiona o porquê de nada comentar sobre a licitação que o STF ia fazer para o fornecimento de lagosta e vinhos aos ministros desta Corte. O valor anunciado era de R$ 1,13 milhão. A manifestação partiu dos senadores Jorge Kajuru (PSB-GO) e Reguffe (sem partido-DF) que entraram com uma representação no Tribunal de Contas de União, para que seja analisada a “legalidade, legitimidade e economicidade” do processo. Então...
Os críticos dos cortes nos serviços essenciais também citam os gastos previstos dos militares num tour pela Europa. Os coronéis terão a companhia das esposas e ficarão hospedados em hotéis 4 e 5 estrelas, com o valor da diária de 2 mil euros por pessoa. A comitiva será composta de 78 pessoas e a duração da viagem será de 16 dias. Alguém ouviu algum murmúrio oriundo do Palácio, sugerindo o cancelamento dessa farra? Ou tudo isso não passa de má vontade e perseguição da mídia quando toca no assunto. Com tantas prioridades... Por que mexer nisso?
Por causa de algumas interferências desnecessárias e contraindicadas para o cargo que ocupa, o presidente é considerado por alguns críticos como um gestor que se preocupa com as decisões sem importância, ações que nada agrega nas mudanças esperadas. O último exemplo foi a suspensão da propaganda do Banco do Brasil. A campanha tinha como objetivo atrair o público jovem, sem distinção de raça e demais preconceitos. Por isso a presença de negros e brancos. O motivo não ficou muito claro, mas a oposição caiu matando o acusando de racista.
Infelizmente, a forma como o presidente trata publicamente os assuntos permite interpretações diferentes das desejadas pelos que o apoiam. Alguns especialistas comentam que o estilo “ditador” torna a convivência difícil entre os membros da equipe, assim como o relacionamento com os outros Poderes (Legislativo e Judiciário). Para piorar a situação, os seus filhos não poupam agressões verbais contra o vice-presidente – o indesejado fogo amigo -, o STF e quem mais estiver na linha de tiro. O observador externo fica sem entender o porquê disso.
Qual motivo teria o cidadão desempregado, que precisa trabalhar, torcer contra o governo que vai criar condições para isso acontecer? Por outro lado, como acreditar em dias melhores se tudo que se ouve é corte de verba, retirada de direitos e piores condições de trabalho? As pessoas sabem que somente palavras de otimismo não tiram o país da crise que se encontra, mas ficam desconfiadas quando percebem que as mudanças prometidas não atingem todos os pontos que deveriam. Negar aos pobres para manter os privilégios é garantia de aumentar a torcida contra.


J R Ichihara
03/05/2019

 Comente este texto
 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: fBBG (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.