A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Escritor ADhemyr Fortunatto
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Humor
 
ESPERMATOZOIDE VOADOR
Por: Escritor ADhemyr Fortunatto

TEXTO PUBLICADO EM NOSSA COLUNA, DO JR NOTÍCIAS, DE SÃO PAULO - SP, EM 11.06.19

Seria do Bodão? Então, dessa forma, onde o Bodão estiver, nas redondezas qualquer mulher corre o risco de engravidar, sem sequer tê-lo visto!... O Bodão, olhos arregalados, ficou pensando nisso...
Nossa!, pensou ele, se for meu, vou ter que pagar pensão pra meio mundo! E as mulheres podem fugir de mim; ai, ai, ai...
Mas, também refletiu ele, como saber de quem é o espermatozoide voador? Mas é que ele começou a pensar num caso... E imaginou que esse espermatozoide voador podia vir dele, sim!...
Certa vez, ele teve que viajar para Uberaba (MG), a trabalho. Passou lá cerca de quinze dias. E não teve relações íntimas com mulher nenhuma.
Meses depois que voltou para São Paulo, leu num jornal que uma jovem dessa cidade engravidara no período em que ele esteve lá, sendo ela ainda virgem. E que ela residia próximo ao hotel em que ele se hospedou...
Aí o Bodão deu para pesquisar sobre esse tal espermatozoide, que consegue voar a procura de óvulo. Ficou sabendo então que, segundo um cientista americano, os espermatozoides estão evoluindo e alguns já conseguem voar. É por isso que a ciência está chamando esse espermatozoide de ‘voador’.
Segundo o Bodão leu, esse espermatozoide danado pode sair voando até 500 metros em busca de um óvulo para fecundar!
Embora o Bodão nunca tenha ido para os EUA, lá o governo já teria detectado que 22 meninas engravidaram sem ter relação, vítima do terrível espermatozoide voador!
No Brasil, pelo que leu, ainda não há um plano para combater a proliferação do espermatozoide que voa.
Toda essa leitura só o deixou mais intrigado... O jeito, pois, seria aguardar se apareceriam mais mulheres grávidas nas redondezas de onde ele morava. Mulheres assim virgens... E que nunca o viram...


Autor: Escritor ADhemyr Fortunatto.
[email protected]

 Comente este texto
 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: eYHK (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.