A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Matosinho Serafim da Silva
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Poesia
 
DOR ARDENTE
Por: Matosinho Serafim da Silva

O povo arde de dor
A massa se esconde de medo
Nos presídios
Encontra-se com artistas
Se acham tristes
Momentos críticos!

Ardentes são as lamparinas
Paióis de milhos em palhas
Caixotes de frutas estragam
De dor arde o homem
De ódio o drama
Ninguém mais come!

Nação de gente atrevida
Assassinos que fogem correndo
Cavalos e homens nem pulam
São fracos
São indignos
Parecem escravos
São indignos! Não puros!

A dor é ardente no povo
O povo em chamas destrói
Mormaços de grandes fumaças
Nós somos dengosos
Fazemos trapaças!


Matosinho Serafim da Silva

 Comente este texto


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: JVFL (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.