A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

JOSE ROBERTO TAKEO ICHIHARA
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Artigo
 
Artistas, cientistas, especialistas... todos comunistas?
Por: JOSE ROBERTO TAKEO ICHIHARA

O tempo que se perde procurando conspiradores


As declarações do presidente Bolsonaro sobre algumas atividades essenciais ao equilíbrio do pensamento nacional chocam o mundo, mas agrada imensamente os fãs incondicionais do Mito. Para ele, artistas, cientistas e especialistas, que se manifestam contra suas decisões equivocadas, são comunistas e querem transformar o país numa Cuba ou Venezuela. De onde ele tirou essa ideia? Quais dados incontestáveis ele usou para chegar a essa conclusão? Por que muitos acreditam cegamente nisso? Plantou-se e germinou no país esse tipo de pensamento.
O problema de falar sem medir as palavras está na contradição ou na falta de argumento quando questionado. Quando falou sobre a formação da sua equipe, ele fez questão de enfatizar que o critério para a escolha seria eminentemente técnico. O que seria isso se não uma especialidade na área? Por que agora ele disse que os especialistas não servem para nada? Talvez o desempenho do seu governo comprove que ele esteja totalmente certo. Ou há especialistas e especialistas! Quem sabe? Será uma justificativa para indicar um embaixador?
Mas o estilo linha dura adotado pelo Planalto já estendeu os tentáculos para os que concordam com isso. No recente episódio do ônibus na Ponte Rio-Niterói, onde, segundo a mídia, o governador Wilson Witzel comemorou a morte do sequestrador, foi motivo de aplausos por muitas pessoas que não aguentam mais a violência na Cidade Maravilhosa. O triste é que, também segundo a mídia, o rapaz de 20 anos portava uma arma de brinquedo. À parte as divergências entre a favor e contra o ato, o disparo foi feito por um atirador de elite, um especialista nisso.
Provavelmente por detestar algumas especialidades o presidente deixa clara a intenção de esvaziar as Universidades Públicas, um ninho de esquerdopatas, as instituições de pesquisas e controle ambientais, que só fornecem dados inconfiáveis, e a Ancine, um saco sem fundo que suga os recursos púbicos e exibe filmes sobre prostituição. Ou seja, não existe ao menos a tentativa de fazer isso tudo funcionar direito e gerar emprego, renda e auxiliar nas tomadas de decisões mais embasadas. Mas o que a população precisa saber é como sairemos da crise.
Infelizmente ninguém é dono da verdade, muito menos pode resolver problemas seculares confiando apenas nas suas ideias, esperando que todos aceitem sem questionar. Para isso existem os detestáveis especialistas, gostando-se deles ou achando-os inúteis e dispensáveis. Se isso for levado ao relacionamento com outros países, de culturas e valores diferentes dos nossos, a complexidade é muito maior ainda. Portanto, o Mito deve aceitar que ele não sabe tudo, não está comandando uma tropa de soldados e pode estar redondamente enganado nas decisões.
Quantos perceberam uma veia de autoritarismo quando ele disse que “quem manda é ele”, no caso da substituição para chefiar a Polícia Federal no Rio de Janeiro? Reforçou ainda que a escolha pode ser do chefe da Instituição, mas a palavra final é dele – a caneta Bic está nas suas mãos. Se isso não parece com uma gestão centralizadora, tipo comandante de um batalhão militar, os conceitos sobre autonomia de cada dirigente precisam ser revistos e terrivelmente alterados. Alguns especialistas no assunto dizem que essa é a pior forma de gestão que se conhece. Mas...
Talvez se ele deixasse de ver comunistas em toda organização, assim como nas repartições que são responsáveis pelos serviços públicos essenciais, o caminho para a saída da crise fosse mais fácil e os resultados chegariam com menos sacrifício da população. Pode ser que ele não acredita nem no especialista que lhe salvou a vida, depois que sofreu o atentado em Juiz de Fora, na época da campanha eleitoral. Quem sabe os Estados Unidos, seu modelo de sucesso, seriam mais poderosos se não acreditassem na ciência, nos especialistas, nas artes e tudo mais.


J R Ichihara
21/08/2019

 Comente este texto
 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: LWZV (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.