A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

ANDRE LUIZ RAMOS MARUM
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Artigo
 
RIO DE JANEIRO: DO LUXO A LAMA, DA LAMA AO CAOS, DO CAOS AOS CORPOS.
Por: ANDRE LUIZ RAMOS MARUM

RIO DE JANEIRO / ANGRA / PARATY

DO LUXO Á LAMA, DA LAMA AO CAOS, DO CAOS AOS CORPOS.

Desembarquei no aeroporto Santos Dumont ás 20h08min do dia 28 de Dezembro com a intenção de passar a virada do ano e mais alguns dias das minhas merecidas férias em uma das mais tradicionais festas de Réveillon do mundo, desde o início, tudo deu errado, e minha caminhada teve vários obstáculos, alguns tristes, outros nem tanto, mas a vida é assim, aprendemos muito com as adversidades inesperadas.

O povo carioca que me desculpe, povo educado e hospitaleiro sim senhor, mas o Rio é um show de desrespeito e despreparo para receber turistas, do começo ao fim, e é o Rio de Janeiro, capital do turismo nacional.

Falta de informação nos aeroportos, nas rodoviárias, nos postos, nas estradas, nas praias, sem falar da má vontade de informar que eles tem, parece obrigação, os acontecimentos destes 10 dias que estive no estado do Rio devem abrir discussões e muitas reflexões sobre a estrutura turística que a cidade oferece atualmente, algumas cidades próximas também, como Angra dos Reis, Paraty, entre outras.

Estrutura mesmo, em todos os sentidos da palavra, saneamento, luz, limpeza, transporte, só taxi funciona por lá, sinceramente, estou duvidando, e muito, da capacidade do Rio em realizar uma Olimpíada e uma Copa do Mundo, não para mostrar na TV, mas para mostrar capacidade de realização mesmo, não vão adiantar em nada investimentos em obras faraônicas e um mundo de dinheiro, vai ter que ter uma mudança brusca de comportamento, de cultura, de valores e de respeito ao ser humano e a natureza.

O Rio está um caos, de A á Z, em tudo e em todos os lugares, é uma pena que as TVs não mostrem isso, só querem os turistas para encherem o bolso de dinheiro e vender a imagem de uma cidade tão abençoada, que o diga a nossa rede Globo, um dia antes da virada só mostrava as belezas do Rio, por lá tudo de ponta cabeça. Em uma caminhada noturna por Copacabana vi três assaltos a turistas e diversas brigas entre prostitutas e travestis, eu de bermuda, chinelo e sem camisa, levem tudo, mas me deixem viver por favor, tenho muito que fazer por aqui ainda.

Fui embora do Rio seis antes do previsto, praias impróprias, esgotos e bueiros entupidos por toda a cidade, transito parecido com o de São Paulo, de Ipanema ao aterro, passando por Copacabana, Botafogo e até na Barra. Entrei no mar apenas uma vez, o suficiente para pegar infecção nos dois ouvidos.

Acabei por força do destino em Angra dos Reis no dia 01/01/2010, o dia da tragédia, fiz questão de fotografar e filmar tudo nesses 10 dias, um show de horror, de despreparo e de tristeza, impressiona a demonstração de força da natureza e da resposta de DEUS ao que estamos fazendo com o nosso planeta. Por toda as estradas barreiras caídas e rachaduras nas pistas, toneladas de pedras e muita, mais muita lama despencando dos morros, filas de carros por todos os lados, de tratores, de escavadeiras, de ônibus, de carros oficiais, de carros da companhia elétrica, do IML, até de motos, ninguém passa, tudo isso misturado, não sei se a Rio-Santos aguenta muito tempo, uma lembrança forte e muitas imagens que levarei pra sempre.

Na caminhada conheci pessoas de diversos estados, de diversas classes sociais e nacionalidades, todos chocados com tudo, me hospedei em casas, pousadas e lugares bem diferentes, no Rio fiquei no AP da Cris, minha querida prima irmã, uma segunda mãe, em Angra na casa de Bambu do Antonio, chefe do meu grande amigo Carlão, que lugar maravilhoso, natureza ainda intacta a tudo isso, e em Paraty na casa do meu tio, um muito obrigado family, DEUS continue abençoando vocês.

Em alguns desses lugares que passei, muitas pessoas nem se preocupam com o que esta acontecendo, só se importam em que horas vai chegar o Iate ou o Helicóptero para poderem chegar logo em casa, é um contraste social muito forte, muito evidente.

Vi toda a tragédia de perto, do luxo a lama, da lama aos caos, do caos aos corpos, fiz todo esse circuito de ônibus, taxi e carona, tudo isso com minha prancha de Stand UP, muitas pessoas nem param o ônibus ou taxi quando o vêem com a prancha na mão, ainda mais uma de 4 metros, um absurdo para uma região litorânea.

Registrei e filmei tudo, imagens fortes e assustadoras, até me ofereci como voluntário, mas como não tenho nenhuma experiência ou curso nesse sentido fui impedido de ajudar, vou procurar fazer um agora, da próxima vez, que com certeza virá logo, estarei pronto, ah, consegui remar em vários lugares diferentes, de dia, de noite, em lagos, marinas e no mar, mas meus ouvidos continuam a base de antibióticos e antiflamatórios, chequei agora em São Paulo, um dia depois da enchente, o caos também impera por aqui, pelo Brasil e pelo mundo, pontes andam caindo como folhas de papel, nevascas nunca vistas, tempestades, inundações e desabamentos, vou logo para casa, Araraquara, minha Morada do Sol me espera.

Até este exato momento, 06/01 ás 07h17min já foram contabilizados 52 corpos, e se chover mais, que DEUS ilumine o Rio de Janeiro, pois vai tudo morro abaixo.

* Andre Luiz Ramos Marum é pós graduado em marketing e vendas, consultor comercial das Rádios Morada do Sol e Rádio Cultura na cidade de Araraquara - SP e Diretor Geral da Revista Crônica, publicação que circula em 5 cidades do interior paulista. Viajou como turista pelo Rio para passar o réveillon e praticar Stand UP no período de 28/12/09 a 05/01/10 e pode acompanhar de perto todas as tragédias que estão acontecendo deste o início do ano no estado.


 Comente este texto
 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: bAPb (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.