A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Antuérpio Pettersen Filho
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
“JOGO DO JOGO” BRASÍLIA VIRA CINQUENTONA...
Por: Antuérpio Pettersen Filho

“JOGO DO JOGO” : BRASÍLIA, EM MEIO A PROTESTOS, VIRA CINQUENTONA....

Por :Pettersen Filho

Clipe Musical, colhido ao acaso, no You Tube, na Internet, “Jogo do Jogo” do Compositor e Musico Mineiro, Carlos Lucena, com cenas fortes de pobreza e riqueza, todos com “Z” maiúsculos, bem como o é Brasília/DF, enquanto a Cidade comemora, meio que, atônita, seus Cinqüenta Anos, insólitos, de existência, com intensa trilha sonora, retrata bem, em seus “Arranjos”, como é, de fato, Brasília.
Ansiada realizar, já pelo nosso Marechal, estrategista militar que desbancou o Imperador, e nos converteu em República, na própria Constituição que alcunhou em 1891, na qual se previa a transferência da Capital do Brasil para o Planalto Central, longe das manifestações do “Povo”, com vistas a alcançar, também, nosso Planalto, a fim de distanciar-nos da “Beira-mar”, e da Europa Colonizadora, sob a qual nos assentamos, historicamente, desde Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador Recife e Belém, Brasília contou, logo, desde o sempre, com Opositores, afinal, quem ousaria virar as costas para a Cidade do Rio de Janeiro, e suas mazelas Maravilhosas ?
Nem ao próprio Funcionalismo Público, regiamente instalado no Palácio do Catete, e seus Palacetes, que compunham, junto com o Congresso e o Judiciário, o antigo Distrito Federal, na Guanabara, interessariam tal bravata...
Mas eis que, Juscelino Kubtschek, Jovem e Idealista, Presidente, ousou realizar...
Assim, aos 21 de Abril de 1960 a República Federativa do Brasil, justamente na data que se comemorava a Inconfidência Mineira, sua “Certidão Pátria de Nascimento”, antes mesmo que Pedro I entoasse seu fabuloso grito de “Independência ou Morte”, as margens do Rio Ypiranga/SP, 1822, era inaugurada, em menos de três anos de construção, com suas linhas arrojadas, e proposta futurista, dos Engenheiros/Arquitetos Oscar Niemayer e Lucio Costa.
Disposta, bem ao lado do Lago Paranoá, barrado para tornar a edificação possível, com a forma ousada de um “Avião”, como o é Brasília, prestes a decolar para o “Futuro”, com o seu Eixo Monumental, Plano Piloto e Asas Sul e Norte, a Cidade mostrou ao Brasil, e ao Mundo, o seu “Parto” possível...
E voou...
“Aeronave”,ora, supertripulada, Cinqüenta Anos depois, com direito a “Over Booking” e atrasos na “Partida”, Brasília, prevista para um contingente máximo de 500/600 mil pessoas, pelos seus idealizadores, tem em seu entorno, e ditas, Cidades Satélites, quase três milhões de pessoas, e, consequentemente, problemas, que a tornam, tão comum e mundana, como o são Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro, reféns do seu próprio gigantismo e desequilíbrio social.
Tendo pos testemunhas milhares de Candangos, “Pioneiros” que a construíram, mas que não encontram assento na sua própria “Obra”, levados ao seu entorno, diante da Especulação Imobiliária e Suborno Político, Brasília é hoje a melhor expressão Tupiniquim de um Brasil, ao mesmo tempo, Futurista e Feudal, Moderno e Antiquado, Rico e Pobre...
Bem rimada e cantada pelos seus maiores Ícones, Renato Russo, do Legião Urbana, na estória do “Faroeste Caboclo” e a nossa Marcha para o Oeste, parodiando os “Cowboys Americanos”, ou em:“Que “Pais é Esse”, do mesmo Renato Russo, ora Compreendida, ora Incompreendida, Brasília chega aos seus Cinqüenta precisando, urgentemente, de uma “Lipo Moral,” que a torne mais esguia e bela, diante dos “Homens” que Teimam, e Reteimam, em assaltar seus Cofres Públicos, e ricos mananciais.
Sonho, sonhado só, por JK, Cantada por uns, Estuprada por outros, a, ora, Bela Senhora, seguramente, não merece que a possuam os Arrudas, Sarneys e Jefersons da vida.
Tivesse, num lampejo, JK, ao menos, imaginado isso, tal sorte ou destino, seguramente, não a teria obrado...
Ou teria ???
Amada, Odiada, Cortejada, Currada: Eis Brasília, Impávido, Colosso!!!
Como bem o disse, em depoimento, seu maior artífice, Niemayer, anos depois, ao comentar que, na sua edificação, Ele mesmo, e JK, comiam com os peões, a mesma comida, e nos mesmos alojamentos, num sonho de igualdade possível: “Mas vieram por fim os Políticos e os Poderosos...”:
´”E uma merda”, Sentença do seu genitor.
Enfim, como diz o Poeta, Carlos Lucena:
“Joga o Jogo do Jogo. Joga o Jogo da Vida???”

Veja o vídeo em: http://www.youtube.com/watch?v=lP9sWz_hRgs

Texto postado originalmente no Site: www.paralerepensar.com.br

 Comente este texto


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: ULfK (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.