A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco | CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

ANTONIO PAIVA RODRIGUES
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
LAMPIÃO NA ESPIRITUALIDADE
Por: ANTONIO PAIVA RODRIGUES

LAMPIÃO NA ESPIRITUALIDADE

O conhecido Cangaceiro brasileiro lampião encontra-se no mundo espiritual desenvolvendo um trabalho profícuo e muito importante para irmãos já desencarnados no Hospital esperança que tem como responsável o espírito Eurípedes Barsanulfo. Lampião (1897-1938) foi o mais famoso cangaceiro brasileiro, chamado o "Rei do Cangaço", andava em bando cometendo crimes motivados por vingança, revolta e disputa de terra, espalhando o medo por onde passava. Virgulino Ferreira da Silva (1897-1938) nasceu na cidade de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, no dia 7 de julho de 1897. Era o terceiro filho de uma família de sete irmãos, sabia ler e escrever. Ajudava na pequena fazenda do pai cuidando dos animais. Em 1920, para vingar a morte do pai, Lampião entrou para o Cangaço, formando um bando com dois irmãos, primos e amigos.

O primeiro ataque foi em 1922, em Alagoas, na casa da baronesa da cidade de Água Branca, onde levou todo o dinheiro que encontrou. Vejam como a espiritualidade nos prega muitas peças boas e até más. Lampião conhecido como irmão Ferreira, nosso guardião e coordenador dos serviços de defesa do Hospital Esperança. Maria Modesto Cravo autora espiritual do livro (Os Dragões, psicografado pelo médium Wanderley Oliveira) - esteve junto a seu pai e tia, importante participação no nascente movimento espírita em Uberaba (MG). Em julho de 1963, devido a sérios problemas de saúde, Maria Modesto Cravo mudou-se para Belo Horizonte, retornando a Pátria Espiritual em 08 de agosto de4 1964, vitimada pelo câncer. A morte ou desencarne de Lampião se deu na madrugada de 28 de julho de 1938, na Grota de Angico, em Sergipe, Lampião e seu bando, foram surpreendidos com rajadas de metralhadoras. Minutos depois, morria Lampião, Maria Bonita e mais 11 cangaceiros no Nordeste.

O ataque comandado pelo tenente João Bezerra conseguiu, o que a polícia do Nordeste perseguia havia muito tempo. Suas cabeças foram cortadas e expostas em Santana do Ipanema, em Alagoas. Ela já no mundo espiritual colocou o espírito de lampião a disposição para uma entrevista e ele responderá o que vocês quiserem. Através do médium Paolo que recebeu o espírito do irmão Ferreira disse em tom nordestino. E que as bênçãos de nosso Pai recaiam sobre todos. – E cantou em voz alta: Tem macaco e coronér muita luta por aí. Então chama o cangaceiro Lampião vai te acudi. Na caatinga eu me criei, nas grotas eu cresci. Hoje estou aqui, meu Jesus, vim te servi. Um repente ia bem nessa noite de bênção. O médium trava a língua e não escuta Lampião. (grifo nosso). Os presentes sorriam e irmão Ferreira ainda fez alguns gracejos com seu humor sem fim. (Livro – O lado Oculto da Transição Planetária de Maria Modesto Cravo) – (psicografado pelo médium Wanderley de Oliveira pág. 214).

Continua irmão Ferreira: “podem de fazê perguntas”. Estão com medo das trevas? Melhor com medo do que com a doideira do orguio (orgulho)! Sou cangaceiro e adoro xaxado, mas nas trevas a dança é outra. Desceu o primeiro degrau do inferno se acolha no paletó de couro, na capanga e no mosquetão. No inferno bancar o anjo é perder rumo. Por lá só entra quem entra como jagunço. Vamos falar das coisas que ocês quiserem. E se preparem eu sei falá bonito também. Vamos colocar aqui apenas um diálogo para não tornar a matéria muito extensa. “Sinta-se à vontade, irmão Ferreira – acolheu Maurício, pór pura intuição do momento, já que a tarefa de direção não estava mais a seu cargo”. Pode me chamar de Ferreira, já tá bão. O que vocês querem saber sobre proteção? Queríamos saber mais sobre tudo. Sobre o Hospital, o seu trabalho e como nos proteger para essa nova fase.

Há quanto tempo o senhor trabalha no Hospital esperança? – começou o próprio Maurício com perguntas. – Desde 1958, quando fui resgatado por Eurípedes Barsanulfo e dona Modesta. Qual a atividade que desenvolve por lá? – Trabalho no subsolo, nas linhas de defesa. Tenho também atividades diárias no submundo. É importante esse trabalho porque o bem não será implantado na Terra sem limpar as raízes da maldade que se alongam para os infernos profundos no seu interior. O semeador de Cristo deve saber quais são os inimigos de sua semeadura, para garantir êxito na tarefa. Se adotar prevenção e defesa, o bem não sofre atrasos. {...}. Essas nuanças acontecem com certa constância no mundo espiritual e já o nosso querido Francisco Cândido de Paula Xavier de saudosa memória que o telefone toca de lá para cá. A entrevista com o irmão Ferreira é longa e muito interessante.

Aqui na Terra Lampião agia com requintes de perversidades para vingar a morte do pai. Eis alguns detalhes de sua vida terrena: “Em 1915, surgiu uma desavença entre os vizinhos Ferreira e Saturnino, que acusou os irmãos Ferreira de roubo de animais. Depois de certo tempo, Virgulino e dois irmãos mataram o gado do vizinho e terminam perseguidos pela polícia. Na fuga, sua mãe não resistiu e seu pai foi atingido por um tiro dos policiais. O bando justiceiro invadia as fazendas, saqueava os comerciantes e distribuía com os mais pobres uma parte do que recolhia. Cinco estados faziam parte de suas andanças. Por onde passava , torturava e matava, deixa um rastro de destruição e crueldade.

No dia 1 de agosto de 1923, o bando sofreu sua primeira emboscada no município de Nazaré do Pico. O combate se deu na praça, com a ajuda dos civis nazarenos. Era o início da Força de Nazaré, a mais importante perseguidora de Lampião. Em 1926, estando em Juazeiro, no Ceará, Lampião é chamado para combater a Coluna Prestes e recebe a patente de capitão. Nessa época visita o Padre Cícero. Dois anos depois atravessa o Rio São Francisco em direção a Sergipe e Bahia e tem o primeiro combate com as forças baianas. Em 1929 conhece Maria Dé, filha de um sapateiro, que tinha 19 anos e era apaixonada pelo cangaceiro. Maria Déa entrou para o cangaço e tornou-se Maria Bonita, a primeira mulher a tornar-se cangaceira. Em 1932 nasceu Maria Expedita, filha do casal. Durante 20 anos Lampião zombou das polícias, do governo e das pessoas influentes. Escapava fácil das emboscadas, dos tiroteios e das armadilhas.

Conseguia despistar os policiais, que ele chamava de macacos, usando várias estratégias. Uma delas era mandar o bando calçar as alpercatas ao contrário para deixar o rastro em direção oposta. Foi temido e amado. Lampião criou roupas para si e para o bando, caprichava nos detalhes, usava medalhas, muitos anéis, correntes de ouro, chapéu de couro, alforjes bordados e punhais de prata. Lampião usava uma roupa semelhante a dos batalhões militares e óculos que o caracterizou. Sua primeira fotografia é datada de 1926. Seu apelido, dizem que surgiu da cor do cano de seu rifle, que ficava em brasa depois de vários tiros, parecendo um lampião. Na madrugada de 28 de julho de 1938, na Grota de Angico, em Sergipe, Lampião e seu bando, foram surpreendidos com rajadas de metralhadoras. Minutos depois, morria Lampião, Maria Bonita e mais 11 cangaceiros no Nordeste. O ataque comandado pelo tenente João Bezerra conseguiu, o que a polícia do Nordeste perseguia havia muito tempo. “Suas cabeças foram cortadas e expostas em Santana do Ipanema, em Alagoas”. (Fonte: https://www.ebiografia.com/). (grifo nosso).

Aqui estão inseridos detalhes da vida material e espiritual do temido cangaceiro Lampião que era conhecido como o terror do Nordeste, mas no mundo espiritual exerce uma função das mais nobres visto que seu espírito foi resgatado pelo grande Eurípedes Barsanulfo e Maria Modesta Cravo e para encerrarmos vamos dar conotação ao que disse o espírito Lampião ao médium: “–Na vitrine do Planeta terra não pode ser exposta somente as belas gemas dos países desenvolvidos. A miséria e a dor necessitam de divulgação, de vir à tona, para que as soluções sejam pensadas. Não haverá mundo regenerado sem socorro e orientação aos países pobres. O Universo é um sistema e jamais seremos felizes sem solidariedade e consciência social. Dizem os guias da Verdade:” Numa sociedade organizada segundo a lei do Cristo, ninguém deve morrer de fome”. Essa mesma linha de pensamento deve ser aplicada para o astral. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ACE- DA UBT- DA ALOMERCE- DA AVESP ENTRE OUTROS.

Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: BSUA (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.