A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco | CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

JOSE ROBERTO TAKEO ICHIHARA
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
Unanimidade brasileira e sua burrice
Por: JOSE ROBERTO TAKEO ICHIHARA

O menos vale mais?


Adotou-se no Brasil uma frase do falecido Nélson Rodrigues (23/08/12 – 21/12/80), um personagem que ficou muito conhecido por suas conclusões sobre a vida cotidiana. Disse o cronista, jornalista, romancista, teatrólogo e dramaturgo: “toda unanimidade é burra”. Ele se eternizou como o Anjo Pornográfico por causa das suas peças teatrais consideradas obscenas para a época. Considerava-se reacionário e apoiou abertamente a Ditadura Militar, mas quando o seu filho foi preso e torturado, militou pela anistia ampla geral e irrestrita aos presos políticos.
O que teria levado o Anjo Pornográfico a mudar de lado? Por que ele passou a concordar com a maioria que achava o regime mão de ferro prejudicial à democracia? Somente quando os tentáculos da maldade, até então longe dele e de sua família, bateram à sua porta? Para quem tinha na ponta da língua uma frase para cada situação da vida, uma delas soava incoerente com o silêncio que a Ditadura impôs ao povo: “Não admito censura nem de Jesus Cristo.” Usava o espaço de cronista do jornal O Globo para atacar os oposicionistas do regime de repressão.
Poderia existir unanimidade quando se trata de uma sociedade organizada? O que seria a unanimidade para o Nélson Rodrigues? Como fica o direito de opinar diante de uma situação que exige o seu posicionamento? Talvez, para ele, a decisão tomada por um grupo restrito fosse mais acertada que a do resultado de várias opiniões. Daí, provavelmente, a dispensa de eleições para os cargos do Executivo na Ditadura Militar, onde todos eram escolhidos por indicação do Alto Comando. Precisa ouvir o povo, se toda unanimidade é burra? Até hoje isso têm muitos adeptos!
Considerando que maioria não significa unanimidade, escapamos da pecha de burros, segundo a visão do famoso cronista. Mas a situação atual do país, onde o atual presidente conta com apenas 7% de aceitação popular, contra 70% que o querem fora do poder, pode comprovar que o pensamento do falecido dramaturgo é extremamente valorizado pelos Três Poderes nesta República. Como ele se mantém, apesar de tanta rejeição? Qual é a diferença entre esta ditadura e a dos militares, quanto a permanência no cargo? Precisamos revisar os conceitos sobre isso.
Usam-se muito os números para avaliar se uma gestão pública é produtiva ou ineficiente. Por isso a divulgação de vários índices econômicos e sociais, metas projetadas e alcançadas, PIB, saldos da balança comercial e tudo mais. Os especialistas da área traçam as previsões, otimistas ou pessimistas, projetando cenários que servirão para as empresas e os gestores públicos ou privados ajustarem os seus orçamentos. As decisões gerenciais são tomadas com base nessas informações. Mas o que significam os números caso ocorra uma unanimidade sobre eles?
Todo grande pensador é infalível? Ou ele também está sujeito a equívocos que atingem as pessoas normais? Claro que ninguém é obrigado a seguir cegamente nenhum escritor, filósofo, cineasta ou qualquer pessoa influente que externa seu ponto de vista abertamente. Se todos concordarem com o Nelson Rodrigues, não se trata de uma unanimidade? Portanto, o que acontece é que sempre associamos o fato ao pensamento de alguém famoso. Afinal, ninguém precisa se autorrotular de burro só porque faz parte da unanimidade. Ouve-se e fala-se de tudo.
Infelizmente, sabe-se lá por qual motivo, apesar da erradicação da censura, as pessoas se tornaram agressivas e raivosas quando outras discordam das suas opiniões. Hoje, na Operação Lava Jato, desejar uma Justiça imparcial significa concordar com a impunidade e com a corrupção. Por que? Da mesma forma, a maioria quer o serviço público gerenciado como na empresa privada. Pois bem. Alguém contrata um empregado para roubar e dar prejuízo? Como saber quais são as suas intenções na empresa? Deu errado? Substituição por outro... e a vida continua. Não é isso?


J R Ichihara
31/07/2017

Comente este texto

 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: AHbX (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.