A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

 
Jornalismo
 
Máquinas de matar - como se as fabrica?
Por: Marlene Nascimento

Quando se perde um jovem, pense-se nas gerações futuras que se perdem com ele.

Em 1999, Mateus da Costa Meira, mais conhecido por ” Atirador do Shopping", cursava o 6º ano de Medicina. Em novembro daquele ano, de posse de uma metralhadora, Mateus disparou contra pessoas dentro do cinema do Shopping Morumbi, matando três delas e ferindo quatro.

Antes dele não tínhamos histórias de atiradores no Brasil. Após Mateus sugiram outros, com destaque para a Tragédia de Realengo, quando em 2011 o jovem Wellington Menezes de Oliveira invadiu uma escola matando onze alunos e ferindo treze.

Atiradores antes eram produtos fabricados nos Estados Unidos onde os videogames lá eram febre antes de chegar ao Brasil. Então, o computador do primeiro mundo só chegou até nós há menos de trinta anos. Soberano agora nos lares brasileiros, com eles surgiram videogames que foram ficando cada vez mais viciantes e violentos.

Vale frisar também que os inocentes desenhos animados antigos surgiram com uma boa pitada de violência. E o Atari, lembram?, tinha lá seus joguinhos pesados. Os videogames d’agora são pura sofisticação. Quanto mais violentos mais viciam crianças e jovens. Pais e educadores fazem isso ó, para reverter esse grave problema, diga-se quase sem sucesso.

Segundo psiquiatras, vício em jogos eletrônicos causa o mesmo efeito no Sistema Nervoso Central daquele que é causado com viciados em cocaína. Assim, some-se a isso os transtornos familiares, bullyng, violência sexual sofrida na infância, doenças psicossomáticas (em que várias causam distúrbio de comportamento, como a esquizofrenia, o alcoolismo, a hiperatividade), as doenças neurais, as psicopatias, e o fenômeno ao qual não dão relevância, nem mesmo o Estado: o excesso de chumbo em tudo que, segundo cientistas mundiais, há décadas vem causando a agressividade fora de controle de jovens e adultos. Dá soma de tudo isso, pode sim, surgir “máquinas de matar”.

Ah, mas é apenas um jovem entre um milhão que se torna uma máquina de matar, dirão. Não. Outros milhares de jovens cometem outros tipos de delitos graves. As estatísticas criminais de eles são altíssimas. Estudiosos afirmam que além dos filhos. os pais também precisam ser educados. Esses são problemas sociais de difícil resolução. E pais, professores, psicólogos, psicopedagogos, psiquiatras, clérigos, quase nada podem fazer quanto à soma de males mentais que afligem a humanidade. Cabe ao Estado e a nós, empenhar-nos para encontrar soluções que tornem a nossa sociedade mais justa, digna e humana.

 Comente este texto


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: agbe (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.