A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

 
Jornalismo
 
Tímidos caminhos da felicidade
Por: Marlene Nascimento

Nos perguntamos, por que uma pessoa chega ao ápice do suicídio? Estará a tecnologia causando mal à emocionalidade humana, fomentando a depressão? Acredita-se que sim. O uso abusivo de redes sociais e o assedio moral sofrido nelas pode fazer tanto mal quanto sofrer assédio na vida real. Expor-se aos jogos virtuais em demasia também faz mal. O certo será buscar o equilíbrio das horas dedicadas à internet com o trabalho, o estudo, as horas de lazer e a família.

E a perda de uma pessoa querida? Como aceitar o luto? Claro, sabemos que podemos perder as pessoas que mais amamos no mundo. E isso dói. Como dói! Perder pessoas amadas tanto para a vida como para a morte é um duro golpe do destino. Pais perdem seus filhos, filhos perdem seus pais, cônjuges perdem seus pares. Superar a dor da perda não é fácil. Existem perdas que nem dá para superar. Mas temos que reagir. A tristeza sempre dará lugar a uma doce saudade. E reagindo em prol da vida continuamos a viver um dia de cada vez, aplacando a nossa dor com sorrisos tímidos de felicidade, persistindo teimosos na nossa jornada terrena.

Angustia, agonia, desesperança, esmagamento das emoções, sentimentos de culpa, sufocação, a busca por uma saída que não se encontra, tudo isso tem o nome de desespero excruciante onde a única saída é o fim de todas as coisas? Não, não é. De verdade não é. Ter ideias positivas, pensar o bem, dedicar-se a momentos de oração, reflexão, meditação, cultivar um jardim, uma horta, ouvir músicas, ir às compras, passear, viajar. Mas antes de tudo isso buscar ajuda clinica com a máxima urgência. Um remediozinho fará a pessoa depressiva agarrar-se àquele fiozinho de esperança, pensar que a vida é bela sim, trilhando os tímidos caminhos da felicidade.

“O desequilíbrio hormonal é um forte agravante da depressão. É o caso da corticotrofina, do cortisol, do estrogênio, da progesterona e do T4. Alguns dificultam a comunicação cerebral. Outros interferem na ação da serotonina, neurotransmissor relacionado à sensação de bem-estar. A falta crônica dele causa depressão. Alguns desses hormônios podem ser medidos e controlados com relativa facilidade. É o caso do T4, composto produzido pela tireoide que tem a missão de ditar o ritmo de funcionamento do organismo. É possível realizar a reposição por meio de um medicamento.” (WEB)

 Comente este texto
 

Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: JHJZ (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.