A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

ALESSANDRA LELES ROCHA
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
OS NÚMEROS... AS PRIORIDADES...
Por: ALESSANDRA LELES ROCHA




Sempre pensei que números constituem uma escala de prioridades, a fim de facilitar a organização e a tomada de decisões adequadas e eficientes.
Então, se traçarmos um breve panorama numérico do Brasil veremos nesse momento uma realidade de 11,8% de desempregados e 41,4% de pessoas na informalidade 1.
0,9% de crescimento econômico em 2019 e estimativa de 2% para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, segundo projeção do Fundo Monetário Internacional (FMI) 2.
79º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e 0,545 na análise do Coeficiente de Gini 3.
68ª posição geral no Ranking Mundial da Educação (dados de 2015), no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA), o que significa mais detalhadamente que o país ficou na 61ª posição em Leitura, 65ª posição em Ciências e 67ª posição em Matemática. Etc.etc.etc.
Como se vê, com apenas esses números já se pode compor uma escala de prioridades bastante significativa, ou seja, que aponta para as demandas que precisam ser efetivamente trabalhadas de modo a tornar realidade o desenvolvimento e o progresso do país.
Trata-se de números que esmiúçam os desafios e as mazelas, que explicam as fronteiras e limites para as diferentes formas de desigualdade, que oportunizam a reflexão em torno das perspectivas e possibilidades reais de transformação.
Mas, para que o pensamento ultrapasse a linha abstrata da imaginação e alcance a ação é imperioso querer. Querer enxergar. Querer fazer. Querer mudar. Querer criar. Querer... Afinal de contas, nenhum número é capaz, sozinho, de realizar um trabalho dessa grandeza.
Diante dessa constatação pura, é impossível não chorar, não sentir um profundo pesar. A tristeza que se materializa nas notícias não traz alento, não sinaliza uma preocupação efetiva em relação aos mais de 210 milhões de brasileiros; lembrando que destes, 1% ganham 34 vezes mais do que 50% da população total.
A impressão que se tem é de que a verdade pode se esconder sob um véu de invisibilidade e indiferença, em um modus operandi que só faz acentuar o grau da sua perversidade.
Entretanto, eis que de repente ouvem-se rumores, falas estranhas que desalinham os anseios de perspectivas por dias melhores. Que cerram os olhos para as estatísticas. Que rangem os dentes com uma fúria inexplicável. Que querem dissoluções ao contrário de soluções. Que confabulam a guerra ao invés da paz. Será que a contradição começa a se desenhar, a se escrever no ar?!
É como disse Nicolau Maquiavel, em O Príncipe, “Todos veem o que você parece ser, mas poucos sabem o que você realmente é”. Então, num piscar de olhos, os discursos tornam-se apenas discursos, palavras soltas ao vento. O dizer e o fazer não irão se completar, pois alguns não querem que esse objetivo seja cumprido.
Dessa forma, enquanto alguns enxergam a escala de prioridades dos números, com clareza e nutrem fiapos de esperança no futuro, arregaçam as mangas em favor disso, outros poucos, simplesmente, a não enxergam e deslocam o seu foco a outras prioridades oriundas de outros números e valores. O que esses poucos querem é desacreditar os números que sustentam as verdadeiras prioridades e obscurecer o pensamento autônomo, crítico e reflexivo dos demais.
Então, ao pensarmos sobre tudo isso, a conclusão que se chega é que “a única forma de chegar ao impossível é acreditar que é possível”, ou seja, “você não deve viver a vida como outras pessoas esperam que você viva; tem que ser sua escolha, pois quando estiver lutando, você estará sozinho...” 4.

1 https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2019/10/31/brasil-tem-desemprego-de-118-no-tri-ate-setembro-diz-ibge.htm
2 https://exame.abril.com.br/economia/fmi-corta-projecao-do-pib-do-brasil-em-2020-e-aconselha-reformas/
3 https://www.brasildefato.com.br/2019/10/16/desigualdade-1-dos-brasileiros-ganham-34-vezes-mais-do-que-50-da-populacao/
4 Lewis Carroll. Alice – Aventuras de Alice no País das Maravilhas. Ed. Zahar, 2009.

 Comente este texto


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: VOeU (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.