A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

ALESSANDRA LELES ROCHA
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
Natal...
Por: ALESSANDRA LELES ROCHA




Os mais céticos podem até torcer o nariz; mas, que o tempo natalino consegue materializar a subjetividade que existe em cada um, isso é fato. O que alguns chamam de “clima de Natal” é algo realmente arrebatador e transformador na sociedade.
De forma mais ou menos acentuada, pouco importa. A verdade é que esse fenômeno não visível traz à tona uma diversidade de sentimentos e emoções, nem sempre disponíveis; embora, essenciais a todos os dias do ano.
Para início de conversa, por aqui a imagem do Natal é diferente. Não há neve e nem os seus tradicionais bonecos com gorros e cachecóis coloridos e um nariz de cenoura, produzidos pelas crianças nas ruas e parques. Ninguém sai às compras de gigantescos pinheiros e os sai arrastando por aí. As cozinhas não se tornam aromatizadas pelo cheiro dos biscoitos de gengibre que farão a festa da meninada. Enfim, a visão romantizada da festa natalina nos países do hemisfério norte está apenas no imaginário.
Afinal de contas, no Natal do hemisfério sul tudo acontece em pleno verão. Muita chuva. Muito sol. Muito calor. As decorações apesar de inspiradas pela imaginação, vez por outra, levam um toque tropical, por assim dizer. Papai Noel, às vezes, se veste de surfista. Frutas ajudam a compor a mesa da ceia. Mas, nem por isso, a descontração afasta as pessoas de certa introspecção motivada pelo invisível presente no corre-corre de final de ano.
Não se trata de uma introspecção melancólica, triste; apenas, um olhar mais terno, mais humano, mais gentil,... consigo e com o mundo. Um olhar que faz pensar, refletir sobre a vida, as relação humanas... De modo a se fazer um balanço do aprendizado, das perdas e ganhos do cotidiano, do nível de apego e desapego no campo do materialismo selvagem. Um olhar capaz, talvez, de nos mostrar quem somos e o que podemos fazer para sermos melhores a cada dia.
De repente, num breve suspiro, é que essa introspecção nos invade para ganhar matéria e forma. Está muito além do cenário convidativo. Muito além das compras e presentes. Muito além dos preparativos culinários. Muito além... Muito além mesmo.
Está abaixo das camadas mais profundas da alma, como uma simbiose entre a essência humana e a essência do Natal, que transcende o explicável, o compreensível. Apenas, se reflete no olhar, no sorriso, nos mínimos e fundamentais gestos da convivência humana. Quem sabe, a verdadeira estrada para uma coexistência pacífica e harmonizada.
O Natal nos faz sermos outros dentro de nós mesmos. Outros que sabem sonhar acordado. Outros que vivem o agora até a última gota de açúcar do algodão doce. Outros que se rendem despudoradamente as manifestações de carinho e de aconchego. Outros que são estopim para a motivação e a promoção humana. Outros cujo amor é sinônimo de paz e tranquilidade. Outros cujo trabalho expressa a gratidão em realizar. Outros... Muitos outros. E não há como não se render a essa prática contemplativa de si mesmo.
Portanto, Natal não é jornada finda. Natais são votos de recomeço, de confiança, de transformação, de reavaliação humana que trocamos uns com os outros. Uma pausa involuntária na realidade caótica para conseguir enxergar o que há de belo, puro e sagrado em cada um. Uma abdicação de senões, de rótulos, de preconceitos, de achismos, de modismos... para absorver o que a vida tem de mais natural, de mais simples, de mais essencial.
Feliz Natal! Merry Christmas! Feliz navidad! Joyeux Noël! Buon Natale!... agora e em todos os outros que ainda hão de vir; afinal, isso é o que Papai Noel pode realmente desejar de mais especial a você e aos seus.

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: VXga (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.