A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
MAIS TRÊS ÔNIBUS QUEIMADOS EM SALVADOR !!!
Por: JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA

Fonte: Bahia Notícia
Adaptação e Comentários: José Joaquim

A região metropolitana de Salvador (BA) foi alvo de novos ataques comandados por traficantes, nessa terça-feira. Três ônibus foram queimados, além de investidas contra PMs e postos policiais. Duas pessoas ficaram feridas durante uma troca de tiros em um mini-mercado, um cobrador e um motorista tiveram queimaduras e três suspeitos de participarem dos ataques foram detidos.

Os ataques tiveram início na tarde de segunda-feira. Ao todo, seis veículos foram destruídos e outros dois foram parcialmente danificados. A polícia informa que os ataques são uma resposta de traficantes contra a transferência de Cláudio Campanha para um presídio Federal no Mato Grosso do Sul. Ele seria um dos maiores traficantes do Estado.

Logo no início da manhã da terça, no bairro de Águas claras, um ônibus foi queimado. A situação se repetiu no distrito de Mapeles Simões Filho, quando por volta do meio dia, homens ordenaram que um ônibus fosse evacuado e atearam fogo ao coletivo com combustível. De acordo com relatos do motorista ao BATV, os homens disseram que só queriam o veículo.

No meio da tarde, no bairro da Federação, outro ônibus foi queimado a 50 m de um posto policial. Quatro homens armados ordenaram que os passageiros deixassem o veículo. Os bombeiros tiveram dificuldades para apagar o incêndio. O motorista e o cobrador ficaram queimados e foram levados para um hospital local.

Segundo um investigador, dois homens ficaram queimados durante a ação e teriam se escondido em casas próximas.

Em outro ataque, 12 homens armados atiraram contra PMs que faziam a segurança de um mini mercado, dois clientes ficaram feridos. Um posto policial também foi metralhado.

QUEM VAI PAGAR PELOS ÔNIBUS QUEIMADOS ?

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Seteps) ainda não dispõe de uma avaliação precisa sobre os danos causados à frota urbana pelos atos de vandalismo e terrorismo registrados nos últimos dias em alguns pontos da cidade. Mas, de acordo com dados parciais, até a manhã de ontem dez ônibus foram atingidos. Destes, sete foram totalmente destruídos em incêndios criminosos. A Seteps estima que cada veículo novo custe entre R$ 200 e R$ 220 mil, que devem sair do bolso dos donos das empresas de ônibus, já que, a princípio, nem a Prefeitura e nem o Estado podem ser responsabilizados pelos danos. O diretor do sindicato, Horácio Brasil, disse que não há sinalização de redução da frota e que, se houver, será determinado pela Prefeitura.
Sinceramente eu acho que essa conta deveria ser cobrada frente a Prefeitura e o Governo do Estado .
Ele são os principais culpados dessa baderna inusitada aqui na Cidade.
Também por motivo desse descomando aqui na capital, vandalismo e terrorismo, os empresários de quatro segmentos da economia em Salvador (hotelaria, turismo, comércio e construção civil) se mostram preocupados com os prejuízos causados pela repercussão negativa da recente onda de violência e a conseqüente perda de investimentos. "Nenhum turista quer viajar para um lugar sem segurança e tranqüilidade”, diz Raul Queiroz, vice-presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Salvador.

MAIS PROBLEMAS PARA A POPULAÇÃO

O Sindicato dos Rodoviários entrou em contato com o Bahia Notícias para esclarecer que o motorista que dirigia o ônibus incendiado no bairro Tancredo Neves, na noite desta quarta (09), passa bem. Ele foi localizado, pouco depois do incidente, na garagem da empresa São Cristóvão. Preocupado com os ataques aos coletivos, o Sindicato solicitou audiência com o secretário de Segurança Pública e afirma que vai acompanhar o desenrolar dos fatos durante todo o dia de hoje. O recolhimento dos ônibus às garagens não está descartado como forma de proteger a vida e a integridade física dos trabalhadores rodoviários e passageiros, caso o clima de insegurança na cidade permaneça. O Sindicato está com toda a sua diretoria nas ruas, terminais de ônibus e garagens, levantando informações e orientando a categoria. Com certeza os rodoviários estão certíssimos e desta vez eu estou do lado dêles afinal de contas êles são pais de família assim como eu e muitos aqui dentro de Salvador, e vivemos só de ouvir mentiras descaradas que a violência baixou estatatisticamente, que o numero de assaltos a coletivo baixou, que as câmeras de segurança no interior dos coletivos inibem os marginais etc, etc.
Tudo mentira porque a marginalidade não está nem respeitando a polícia e o estado, quanto mais rodoviários e cidadãos honrados e trabalhadores e acima de tudo, invejados pela marginalidade.

DETALHES DOS ATAQUES CRIMINOSOS AOS COLETIVOS

O primeiro ataque de terça aconteceu durante a madrugada contra uma unidade policial desativada localizada próximo ao Conjunto Residencial Jaguaripe I, em Fazenda Grande 2. Oito homens teriam participado da ação. Durante a manhã, um ônibus que fazia a linha Águas Claras – Campo Grande, também foi alvo da ação dos criminosos. Os outros ataques a coletivos aconteceram durante a tarde.


Em respota aos ataques, a Secretaria de Segurança Pública (SSP), anunciou em entrevista coletiva na manhã desta terça o reforço no policiamento, com os PMs deixando os módulos e patrulhando ostensivamente a cidade. Além disso, o secretário César Nunes informou que dois suspeitos de envolvimento na articulação no crime foram presos. Além deles, outros três homens formam mortos após perseguição nesta segunda.


A onda de violência teve início nesta segunda-feira, feriado de 7 de Setembro. O governador Jaques Wagner afirmou que as ações criminosas são represálias à transferência do traficante Cláudio Eduardo Campanha para um presídio de segurança máxima no Mato Grosso do Sul.


Águas Claras - De acordo com o supervisor da empresa Ondina, Agenor Borges, o atentado na manhã desta terça ao coletivo em Águas Claras aconteceu por volta das 6h30, na entrada do bairro, na Rua Benedito Jenkis, próximo ao posto de gasolina Caramuru. Apenas o motorista e o cobrador estavam no veículo que seguia para o final de linha do bairro.


Dois carros interceptaram o ônibus e homens encapuzados exigiram que os rodoviários saíssem. Em seguida, pegaram galões de gasolina e atearam fogo no coletivo. Ainda nervoso, o cobrador, que não quis se identificar, disse que não conseguiu identificar os veículos utilizados pelos criminosos, nem o número de bandidos. "Eles queriam me matar dentro do ônibus, só percebi que eram muitos", contou.


Moradores da região, que também não se identificaram, disseram que o grupo ameaçou continuar com os ataques. "Eles falaram que só iam parar quando o homem voltasse", relatou um jovem, que disse ter visto quando os bandidos fugiam. A Polícia Militar esteve no local e o Corpo de Bombeiros debelou as chamas.

ATAQUES À MODULOS POLICIAIS

A onda de violência iniciada por bandidos no feriado de 7 de setembro teve continuidade nesta quarta-feira, 9, com a destruição do módulo policial do Engenho Velho da Federação, ocorrida no começo da madrugada e mais um ônibus incendiado na avenida Vasco da Gama no início da tarde. No fim da tarde, um homem foi morto durante uma troca de tiros próximo à Estação da Lapa, mas a polícia nega que o caso tenha relação direta com as demais ações.

Localizada na rua Apolinário Santana, fim de linha do bairro, a unidade policial desativada foi alvo de uma bomba atirada por criminosos. Comerciantes da área afirmam que a módulo havia sido reformado há dois meses. Ninguém ficou ferido. Já o ataque ao coletivo foi feito por um grupo de 15 homens e aconteceu próximo ao conjunto Santa Madalena.

Com os atentados de hoje, sobe para oito o número de módulos atacados. O saldo da violência chega também a sete coletivos destruídos. A Secretaria de Segurança Pública informou que nove pessoas foram presas no Engenho Velho da Federação após o ataque ao coletivo sob acusação de integrar a quadrilha por trás desses atos.

Na noite desta terça-feira, um outro módulo da Polícia Militar, em Areia Branca, Região Metropolitana de Salvador, também foi alvo de ataque criminoso. De acordo com informações da 52ª CIPM (Lauro de Freitas), quatro homens armados chegaram ao local por volta das 21h30 em dois veículos Astra e deflagraram vários disparos de arma de fogo contra a unidade, localizada na Rua Dois de Julho. O módulo estava fechado e não houve feridos.

Guarnições da polícia militar perseguiram os veículos e um deles (placa JRS-4424) capotou no canteiro central da BA-099, próximo ao local de cobrança do pedágio. Dentro do carro, foram encontradas duas garrafas plásticas com quatro litros de combustível. Apesar do veículo ter sido alvejado por diversos disparos, os homens conseguiram fugir e até o final da noite ainda não haviam sido localizados.

Em nota, a assessoria do governo informou ainda que a a polícia prendeu mais dois suspeitos de envolvimento na ação contra o módulo da Federação. Os irmãos Ivan e Ícaro Brito Pimentel foram presos no início da tarde na rua Apolinário Santana, que fica nfim de linha do bairro. Outros três homens foram presos acusados de envolvimento no incêndio de um ônibus no fim de linha da Federação na tarde de ontem. De acordo com o investigador Paulo Portela, da 7ª Delegacia (Rio Vermelho), outras quatro pessoas foram detidas, entre eles duas mulheres, para investigação se têm envolvimento com as ações.

Onda de violência - A ação dos bandidos deixou, até agora, nove pessoas feridas, sendo três policiais militares atingidos na segunda-feira, três rodoviários e uma passageira queimados em ataque a ônibus nesta terça-feira e dois homens baleados na Cesta do Povo também nesta terça.

Até esta quarta-feira, as ações dos bandidos atingiram diversos bairros da capital baiana como Uruguai, Águas Claras, Federação, Engenho Velho da Federação, Trobogy, Mussurunga, Valéria, Ilha de São João, Fazenda Coutos, Alto de Coutos, Ribeira, Pirajá, Jaguaripe II, Fazenda Grande II.

O GOVERNO DO ESTADO

O governador Jaques Wagner em nova desculpa se justificou dizendo que a ação tem relação com a transferência do traficante Cláudio Campanha para um presídio de segurança máxima em Mato Grosso do Sul. Wagner já cogitou pedir ajuda a Força Nacional. (Por quê não antes já que os atentados já foram previstos e avisados anônimamente?).

Em entrevista coletiva concedida na manhã de terça-feira, o Secretário de Segurança Pública falador, César Nunes, garantiu que um delegado foi designado para cuidar exclusivamente dessa onda de atentados na capital baiana. Doze guarnições da Polícia Militar do interior permanecem na cidade para reforçar o quadro.

Outra medida adotada é a permanência dos módulos fechados e vazios. Os oficiais que atuavam nessas unidades passam a reforçar o policiamento nas ruas. Nunes reafirmou que os atentados foram motivados pela transferência de Campanha para outro presídio e enfatizou que todos os líderes do tráfico presos serão transferidos para prisões federais em outros estados para coibir a atuação de quadrilhas. "Hoje temos quase todos os líderes do tráfico na Bahia presos. E vamos manter essa estratégia para desarticular o tráfico de drogas", disse.

Questionado por que os módulos policiais não foram esvaziados antes dos ataques, uma vez que a Secretaria de Segurança já tinha informações sobre a possibilidade da ação, Nunes disse que não poderia "despoliciar" a cidade diante de uma ameaça e que todos os policiais dentro dos módulos estavam com equipamentos necessários, como armas e coletes.
Sabem qual é o equipamento dos policiais dentro dos módulos?....Um celular fajuto com a bateria pedindo outra e olhe lá quando não pedem emprestado para algum cidadão.
Eu já emprestei o meu outro dia para um policial conhecido.


POSTADO POR JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA

COMENTEM [email protected]

 Comente este texto


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: IPfN (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.