A casa dos grandes pensadores
 
 
   

 

FERNANDA MOROSO

 
 
Uma tarde no tempo
 
O vento se passa no meio da tarde
A menina senta na calçada sem fazer nada
A rua é vazia na rua parada
Será cedo ou tarde pra viver?
 
Tudo aqui passa devagar
As pipas cortam antenas
O tempo passa desligado
E eu pertenço a outro lugar
 
Enquanto o sol nos faz ofegante
Minha mãe luta pra não esmorecer
Cruzam-se os braços da vida
Ninguém sabe quando vai morrer.
 
Passa-se o tempo, passam-se no nada
Poucos descruzam a dor da ferida
Poucos sabem o que é a vida
Se é cedo ou tarde pra entender.
 
Fernanda Moroso
                      
Publicação: www.paralerepensar.com.br 12/03/2009