A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

 
Poesia
 
O HOMEM LIMITE
Por: Antônio Coquito

Não vejo, já me cegaram.
O mundo pequeno ... de sombras,
Não enxergo seus mistérios,
Não entendo como se articula.
Me fixo no explícito.
 
 
Oculto é a verdade que me arde,
que envenena meu espírito,
Talvez seja melhor não vê-la,
Para não ter a dor de senti-la,
Confiná-la seja mais saudável,
Neste meu mundo agredido.
 
 
Procuro caminhar o meu caminho,
Ninguém por mim o pode fazer,
Sei que sou do mundo,
do sub mundo,
do mundo sub
sub nutrido,
sub traído,
sub humano.
Mas também,
da fantasia, do sonho, do desejo,
do que ainda está a descobrir, neste nosso:
Mundo limitado pelo que não Vemos.
 
 
E, ainda bem que posso brincar ,
Fazer poesia, ressuscitar-me nelas,
Voando na permissão do meu mundo,
Sem censura, dar asas
à liberdade
do mundo ao qual acredito.

Antônio Coquito

Publicação: www.paralerepensar.com.br 07/11/2005

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: VgTd (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.