A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

 
Crônica
 
Forças que não tive, Sonhos que não busquei...
Por: Viviane Nascimento

Hoje sentei-me as margens do rio
E comecei a observar a liberdade das águas que correm e se renovam sem medo
Os peixes que livremente nadam sem temer a chegada do pescador
Então me veio a mente reflexos da minha vida
Quantas vezes por medo, deixei que meus sonhos passassem
Sem a chance de realizá-los
Senti passar por mim a felicidade e não tive a ousadia de ao menos segui-la
E quem sabe assim descobrir até onde ela poderia me levar
Vi escoar por entre os dedos de minhas mãos como gotas de orvalho
Meus mais intensos desejos e nada fiz para que não caíssem
E muitas vezes julgada por aquilo que não fiz, tive medo de seguir adiante
De dar um passo a frente e com as mãos alcançar o que estava diante de mim
O que sonhei a tanto tempo conquistar
Não fui capaz, e desta forma vi meus sonhos passarem
Meus desejos irem embora
Minha felicidade quase sendo sepultada
Meu sorriso, pra onde foi?
E o brilho que havia em meus olhos?
Perdi
E quando olhei em volta em busca de ao menos uma mão que pudesse me ajudar
Percebi que apenas riam de mim
Meu sofrer era motivo de zombaria, de felicidade para muitos
Me enfraqueci ainda mais
E porque?
Me senti qual uma borboleta de volta ao casulo após sentir o gosto inebriante da liberdade
Mas a vida cobrava de mim uma atitude
Precisava me reerguer, sentir de volta as forças que o meu coração necessitava naquele momento para seguir a diante
E Deus me levantou das cinzas e do pó
Aos poucos fui me levantando e tirando do rosto daqueles que torcem pela minha derrota, o sorriso que não mais me intimida
E hoje estou de pé
Muitas coisas passaram, muitos sonhos se foram
Mas estou aqui, de pé
Sei que posso sonhar outra vez, que a batalha me fez mais forte
E que aqueles que riram da minha fraqueza baixam a cabeça diante da minha vitória
Hoje olho pra trás e vejo o tempo que perdi mergulhada em algo que só me fez mal
O quanto fui tola ao deixar de lado meus sonhos e tentar realizar os sonhos alheios, a felicidade alheia, enquanto sem perceber estava esquecendo de mim...



 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (1)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: fGWA (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.