A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Augusto de Sênior (Amauri Carius Ferreira)
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Prosa
 
TODA AQUELA MULHER TEM A PUREZA (ÁLVARES DE AZEVEDO) - O HUMOR NA
Por: Augusto de Sênior (Amauri Carius Ferreira)

Toda aquela mulher tem a pureza
Que exala o jasmineiro no perfume,
Lampeja seu olhar nos olhos negros
Como, em noite d’escuro, um vagalume...
Que suave moreno o de seu rosto!
A alma parece que seu corpo inflama...
Simula até que sobre os lábios dela
Na cor vermelha tem errante chama...
E quem dirá, meu Deus! que a lira d'alma
Ali não tem um som — nem de falsete!
E, sob a imagem de aparente fogo,
É frio o coração como um sorvete!

(Obras, 1853, v. I, Lira dos vinte anos, 2ª parte)

__________________________________________________


Pequeno poema não nomeado pelo autor, por convenção, o primeiro verso (primeira linha gráfica) torna-se o título da poesia, isto é, "Toda aquela mulher tem a pureza".

São doze versos divididos em três estrofes (conjunto de versos), rimando o segundo verso com o quarto verso.

São decassílabos (dez sílabas poéticas).

Vejamos a escansão (divisão em sílabas sonoras) dos quatro primeiros versos:

"To-daa-que-la-mu-lher-tem-a-pu-re-/-za
Quee-xa-lao-jas-mi-nei-ro-no-per-fu/-me
Lam-pe-ja-seu-o-lhar-nos-o-lhos-ne-/-gros
Co-moem-noi-tes-dees-cu-roo-va-ga-lu-/-me..."

Fala o eu lírico de uma mulher (amada, amante, amiga, sonho, realidade?).

É uma mulher pura.

Morena.

Olhos negros.

Lábios vermelhos.

Não há poesia em sua alma, e seu coração é frio como um sorvete!...

Nas profundezas textuais podemos entender que o jovem poeta (1831 - 1852) amou e não foi notado, mas, por parte do jovem, não existe mágoa, há uma lembrança do conjunto de qualidades de sua amada que nos lembram sensações positivas (sensualidade, calor, etc.) e depois negativas (indiferença, frieza, etc.) por parte de sua escolhida.

O poeta reclama que sua escolhida nunca notou sua presença.


Augusto de Sênior.
(Amauri Carius Ferreira)



 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: KKQX (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP sera enviado junto com a mensagem.