A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

 
Conto
 
RESSENTIMENTOS
Por: Luiz Carlos Morete



RESSENTIMENTOS


A escola que vai estudar era uma das melhores da cidade e, nesse dia, os pais estavam fora, cumprindo assuntos profissionais. A avó é que iria acompanha-lo, para ver onde o neto iria estudar
A contragosto Fábio reclamou para a avó:
- Já tenho quinze anos, já posso vir sozinho.
- Nada disso, vou fazer o que sua mãe mandou. Também quero conhecer a escola que vai estudar.
Rodolfo, o que se considerava líder da classe, disse:
- Olha só quem vem lá? E são negros! Tão deixando qualquer um entrar. Essa escola já foi boa.
- E já vem acompanhado da avó, por segurança.
- Ele já está “seguro “, aqui comigo! – e Rodolfo gargalhou.
Pelos inúmeros adolescentes que procuravam a escola, não ia ter vagas para todos, resolveu fazer testes para selecionar os mais preparados.
- A professora-diretora disse para a avó do Fábio:
- Ele terá que fazer outro teste.
- Mas já fez essa prova e passou!
- É um teste simples. Quer fazer novamente? -perguntou para o Fábio.
- Não é justo. Só porque sou negro.
- Imagina! É por falta de vagas. Você tem até a manhã para fazer isso.
Voltaram para casa desolados. A verdade é que a escola não queria misturar os negros com os brancos. Racismo. A vaga que era para ser de Fábio passou a César que é sobrinho de um senador
- Ouvi dizer que o “negrinho” ´é bom, em todas as matérias. É um desafio para você.
- Não tem candidato que me vença!
Na escola, Rodolfo vibrava. Já estava tudo preparado. Ia ser um adversário a menos.

À noite, depois jantar, foram todos até a sala de estar para pôr a conversa em dia.
O pai iniciou a reunião familiar.
-E daí, mãe, conheceu escola? Já matriculou o Fábio?
- Não. Eles falaram que o Fábio teria que fazer outro teste.
- Mas já foi feito esse teste outro dia e passou – disse a mãe. Eu vou lá conversar.

- Não vai, deixa e professora aplicar o teste. O Fábio vai sair bem de novo, você vai ver.

No dia, seguinte Fábio já estava na escola. Os candidatos foram chamados a irem para a classe de cada um.
A diretora chamou vai fazer a prova em separado.
- Protesto! Isso que estão fazendo é um crime.
- Deixa, pai. Eu vou fazer esse teste.
Parecia uma eternidade. O tempo escoava lentamente. O suor que descia dom rosto do pai, já incomodava. E a prova tinha quatro horas de duração.
De repente, não mais que uma hora Fábio completara os testes.
E vinha com a prova na mão: nota máxima.
Rodolfo ficou sabendo na classe e esperava o resultado de sua prova.
E chegou o resultado.
De 1º colocado caiu para o 3º lugar, perdendo até para seu amigo preferido, o Juca.
Rodolfo não se conformava e saiu feito um doido pela porta.
Enquanto isso os professores falavam sobre o Fábio e a sua competividade nas duas provas. Os professores que eram contra os negros naquela escola teriam que rever os seus conceitos e reconhecer que estavam errados e que todos têm direitos iguais, sem exceções.


14/03/2020




 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: edRC (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.