A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Coronavirus
 
O PRESIDENTE PIRRACENTO
Por: Afonso e Silva

Uma maioria de descontentes com as políticas públicas implementadas durante as gestões petistas, voltadas aos mais necessitados, conseguiu eleger essa pessoa totalmente desqualificada para exercer o cargo máximo da República. O senhor Jair Messias Bolsonaro é homem só porque tem nome de homem, se diz pai de não sei quantos filhos, nem me interessa saber e nem sei se ele mesmo sabe, mas isso não vem ao caso. O que interessa é que essa pessoa, demonstra pelos atos e fatos, uma criança das mais pirracentas que se têm notícias. E sua birra tem nome, qual seja: a sua inutilidade. Por isso mesmo, a cada dia tem um chilique e promove uma arruaça sem qualquer motivo, só para incitar a súcia que lhe segue, no sentido de incrementar a disseminação do ódio contra as instituições democráticas e as pessoas que pensam diferente.

Mais do que isso, esse presidente ficou mais inútil ao país do que uma lamparina acesa no quintal em pleno meio-dia. E sua pirraça aumenta à medida que cresce a importância dos governadores e prefeitos. Esses sim, assumiram o protagonismo ao combate da Covid-19 que assola o país, mesmo na contramão de Brasília. Enquanto isso o senhor Jair Messias Bolsonaro assume o papel que lhe cabe de bufão, da pior qualidade para alegrar a caterva uniformizada.

Enquanto promove suas arruaças, os hospitais se afogam de doentes que se juntarão aos corpos amontoados, aguardando o caminhão frigorífico para despejar a carga de pobres brancos e negros nas valas abertas pelos operários, que trabalham diuturnamente para vencer a nefasta demanda. Essas pessoas envolvidas nessa luta, seja médicos, enfermeiros, recepcionistas, agentes de saúde, vigilantes, enfim, todos eles merecem todo nosso apreço, respeito e agradecimento. São os verdadeiros heróis brasileiros.

Longe do odor da morte e da dor de quem perdeu o ente querido, o fanfarrão está a surfar em jet-ski no lago Paranoá, ou dando um rolé com sua moto, infringindo a lei ao não usar o capacete ou desrespeitando a determinação do próprio Ministério da Saúde promovendo aglomerações sem a devida proteção.

Convenhamos a que veio esse tal de Nelson Teich? Realmente ele é ministro? Como pode um ministro desconhecer por completo a publicação de decretos relativos à sua pasta? Vexatória a situação do ministro durante entrevista ao saber pelo repórter de tal fato. A ocasião era oportuna para entregar o cargo pela vergonha. Se é que tem alguma.

Penso que esse ministro não faz falta nenhuma. Essa pessoa realmente entende alguma coisa de saúde? E de gente? Pois do jeito que ele se refere aos mortos dá até medo. Ou ele sofre de alexitimia, e aí tem que procurar tratamento, ou é um monstro. Para essa pessoa tanto faz morrerem 1.000, 10.000 ou 100.000 irmãos e irmãs. Para ele são apenas números. Mas estamos falando de vidas. Vidas de inocentes filhos e filhas de DEUS, sem condição financeira para procurar um hospital particular, não um Albert Einsten que nem um Queiroz e Bolsonaro, mas um que pudesse ao menos morrer dignamente. Nem uma despedida dos parentes foi possível, aliás, nem enterro decente. Certamente o deus dessa quadrilha que devora o erário público, enquanto devassa integralmente o país, não é o mesmo DEUS dos cristãos. Na maior frieza Teich acha natural que isso aconteça, pois já estava previsto no seu manual.

Na sua visão inescrupulosa do (des)governo, quanto mais morrer integrantes do grupo de trabalhadores negros e pobres, melhor. Isso acontecendo, trará vários benefícios ao brazil de Guedes. Assim, sobrarão mais recursos para injetar nos banqueiros. Essa mortandade também irá contribuir para a redução de gastos com a previdência e SUS, visto que grande parcela das vítimas fatais é de idosos e de pessoas com comorbidades. Aliá-se a isso o fato de que os melhores hospitais públicos, não precisarão mais esconder que os leitos e UTIs são reservados ao grupo do capitão para tratamento da Covid-19. Depois disso, se sobrar poderá se estudar a possibilidade de um atendimentozinho meia boca para um ou outro pobre comum. Com a ressalva de não demorar na UTI.

Diante do que vejo e escuto passei a começar a entender o que o Guedes quis dizer “que servidor público é parasita”. O servidor que Guedes mencionou é igual a ele próprio e os demais que se sentam ao lado do parasita-mor. Onde esse messias, que mais se assemelha a um moleque, trabalhou? O que pode se extrair de bom do currículo desse coisa ruim que está aí, sem rumo que nem alma penada, só fazendo e falando besteiras? Mas que quer, assim como o parasita Guedes, mandar os pobres trabalhadores saírem para trabalhar, mesmo sabendo que não irão voltar para suas casas. Seu destino será a vala comum e eles sabem muito bem disso.

Depois de tanta luta! Tanto sofrimento! Esse é o presidente que o Brasil com “s” merece? Convenhamos, o Brasil amiudou tanto que envergonha até Burundi. Uma pena! Contudo, não desistimos. Amanhã será diferente.

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: eKED (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.