A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Demétrio Pereira Sena
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Artigo
 
A FARRA DA "FÉ"
Por: Demétrio Pereira Sena

Demétrio Sena - Magé

Se o templo de sua grei religiosa é amplo e suntuoso... se os seus líderes (dos auxiliares ao mandatário absoluto), levam vidas com as quais você sequer sonha, e não as teriam se dependêssem de seus ofícios laboriais, está na hora de repensar sua participação no grupo. Será que você compõe essa casta? Compõe mesmo, de igual para igual? Ou é tão somente um servo, colaborador sempre voluntário e pagador fiel de seus "impostos sobre fé", que sustentam essa farra cada vez mais pendurada nas mentiras e armações dos poderes públicos e privados?

Não se aceite mais como peça do engenho viciado, pernicioso e sem limites, de ascenção e manutenção do poder dessa elite nojenta, cinica, perversa e deteriorada, humamente. Deixe de ser "peça importante" (apenas) na hora do dízimo... do voto de cabresto que mantém políticos ladrões nos cargos... ou também elege pastores, padres e outros líderes que depois cuidam dos interesses pessoais e mantêm as ovelhas no mesmo pasto seco... onde só servem para servir, ainda que se julguem prestigiadas quando figuram em participações de púlpito.

Compare o templo de sua grei com a casa modesta ou precária em que você vive. Não tenha inveja; isso é indigno... mas compare também a vida que seus líderes levam, graças aos resultados do seu trabalho, seu voto de cabresto e seus préstimos, com a vida que você oferece à sua família. Agindo assim, se permita o poder da indignação; da rejeição à injustiça. Quando a própria igreja se transforma na "roda dos escarnecedores", não se assente mais nela. Sua fé pessoal, sem vínculos corporativos, há de ser bem aceita pelo Possivel Deus e o próprio criador do cristianismo, agora tão aviltado.

Um Bilhão em dívidas das igrejas com o poder público serão perdoados, a menos que haja muita pressão da sociedade, para o presidente vetar o perdão. Dinheiro nosso, desperdiçado, e quem é cristão, roubado em dobro, pois o seu dízimo sempre sustentou sua igreja. Igrejas têm benefícios fiscais do poder público. Algumas pagam pouquíssimos encargos sociais; a maioria nenhum. Toda dívida é injustificável... mas quando o assunto envolve interesses políticos, elitistas, eclesiásticos, o Brasil não tem crise; o suor de nosso trabalho proverá.

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: cfRH (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.