A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Coronavirus
 
Popularidade de capeta
Por: Morena



Sobre a influenciadora que fez piada com aglomerações, por indolência, burrice, ingenuidade, infectou-se, adoeceu seriamente, teve seu quadro clínico agravado e faleceu, até esse ponto eu entendi. Só não entendi ela, quando estava sofrendo o martírio da Covid-19, vir à publico pedir, desesperada, para fazer uma corrente de orações por sua vida. Não sabia a pobre o que estava fazendo quando se aglomerou com sucesso? Não sabia ela de um novo vírus matando humanos nas milhares de informações virtuais que recebeu?
Como uma pessoa que gere os atos da sua vida cível pôde estimular outras para gandaiar em plena pandemia. Não sabia ela o significado da palavra PANDEMIA? Se quem se cuida com todos os cuidados pode pegar a doença, imagine quem se aglomera com sucesso.
Me dá agonia de ver pessoas que não se cuidaram, que sofreram o martírio da falta de ar, mas sobreviveram, e depois vem à publico desabafar que aprenderam finalmente o que é a doença de verdade, que estão arrependidas das brincadeiras, que doravante irão cuidar melhor dos seus entes queridos.
São pessoas adultas, insensatas que não se cuidam, e uma vez infectadas, infectam outras pessoas inocentes. E ainda existem as pessoas que dizem que não acreditam que o vírus existe de verdade, agindo indolentemente; Mas como? Se a essa altura da pandemia todos tem um ente querido, um amigo, um vizinho, um conhecido que ficou hospitalizado, que está hospitalizado, ou que morreu de Covid-19? Ah... vão pro céu, vão!
A pessoa ao invés de usar a popularidade conquistada para fazer o bem, usa-a para praticar maldades. Uma pessoa popular, estimulando os jovens a aglomerarem-se, ciente e consciente que tem um vírus letal à solta no planeta, está fazendo o quê? O bem? Por certos seres não podemos mesmo sentir empatia e nem compaixão pelo martírio que sofrem, que sofreram, mas, isto sim, indiferença.

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: cEeA (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.