A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

 
Poema
 
Cabindês Eu Sou
Por: Joaquim Mbatchi

CABINDÊS EU SOU

Mundo dizei-me o que valho
Enquanto for cabindês, eu sou.
Cá morro na dor que me assola
Vestido de luto, à cabeça o vermelho
É meu desejo que vos retrate
Minha dor tão sufocante,
Que dia vós me deste
Que vos não vi arrogante!

Mundo dizei-me o que valho
Dizei-me a quem me igualais;
Se soubesse o que valho
Quanto vos não lembrava os males!
Se quiserdes abro-vos o coração;
Dizei-me tudo quanto sou
Sem pena do que não é são,
Dizei-me todos o que eu sou.

Mundo dizei-me o que valho
Meu povo me acompanha no tempo
Mentiras, falsas promessas no trabalho
Quanta lembrança vos não dei tempo!
Se desconheceis a minha identidade,
Filho africano também sou
E se considerais que seja vaidade
Dizei-me vós quem eu sou.

Algures no Exílio
João Mbatchi (Manga Ndose Ntu)






 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: daUV (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.