A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Haroldo Pereira Barboza
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Artigo
 
A 4 onda pode chegar
Por: Haroldo Pereira Barboza

A 4ª “onda” pode chegar em agosto

Conhecendo o padrão de planejamento de nossas autoridades, não foi difícil prever que na final da Copa América de futebol (RJ) a aglomeração de torcedores sem máscaras ocorreria entre os quase 7000 fanáticos que ousaram comparecer ao Maracanã. Deliberadamente não distribuídos ao redor do espaço.

A copa caiu no colo do Brasil faltando 3 dias para seu início. Mas o interesse comercial dos organizadores falou mais alto e o processo de prevenção contra covid-19 foi colocado em 5º plano. Com anuência das “ortoridades” sanitárias. Só isso?

O risco de realização de jogos resultou na contaminação de dezenas de pessoas (não atletas) ligadas à estrutura do evento: motoristas, seguranças, garçons, faxineiros e assemelhados.

Não satisfeitos com a criação de mais um foco (como se não bastasse o transporte público “insolúvel” por todo o período das “ondas”), eis que os “gênios” do planejamento público, faltando dois dias para o jogo final, aceitaram que o estádio recebesse 10% de sua capacidade máxima de torcedores nacionais e argentinos (cujo comando central recusou abrigar os jogos). Com cerveja liberada nas cadeiras.

Batizaram estes torcedores de “convidados” para o evento, prometendo um controle “rígido” no acesso através de testes PCR! A própria Conmembol relata que um número “considerável” (não citam o total para não provarem a falência do tal “controle”) de atestados falsos foram usados pelos “espertos” que adentraram o estádio.

Tudo ocorrendo sob o olhar complacente das “ortoridades” sanitárias que nos impediram de usar as praias abertas em épocas recentes.

Temos a impressão que desejam que uma 4ª “onda” seja anunciada como fato “inesperado” (vão colocar a culpa na versão BETA da Índia) e que será preciso obter recursos financeiros (nova mamata) da área federal para adquirir respiradores, medicamentos e quem sabe, mais uns 3 ou 4 hospitais de “campanha” que não serão usados.

Como não há intenção de criar CPI para investigar a aplicação destes recursos por parte das esferas estaduais e municipais, preparemos nossos bolsos para arcar com os aumentos de impostos para cobrir as “despesas” com a proveitosa “onda”.

Agora aguardemos o Carnaval para setembro, arquitetado pelo município do RJ

Haroldo - julho/2021

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: SQIH (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.