A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Artigo
 
Preparativos Espirituais Para a Reunião
Por: Valdir Pedrosa

PREPARATIVOS ESPIRITUAIS PARA A REUNIÃO

Uma reunião espírita envolve diversos e complexos preparativos, tanto por parte dos encarnados quanto dos desencarnados, a fim de que os objetivos traçados pelos mentores sejam alcançados. No capítulo em estudo, André Luiz nos mostra como o plano espiritual atua nesse sentido, o que nos dá uma noção da importância de tal atividade e da responsabilidade que nos cabe. Muitas pessoas, mesmo espíritas, não conhecem os pormenores envolvidos nos momentos que antecedem as reuniões, sejam as mediúnicas ou as palestras e estudos abertos ao público.

Após retornarem ao lar de dona Isabel, André logo observou que os trabalhadores espirituais realizavam determinadas operações magnéticas. Notando a estranheza do pupilo, o benfeitor Aniceto explicou: “Realizar uma sessão de trabalhos espirituais eficientes não é coisa tão simples. Quando encontramos companheiros encarnados, entregues ao serviço com devotamento e bom ânimo, isentos de preocupação, de experiências malsãs e inquietações injustificáveis, mobilizamos grandes recursos a favor do êxito necessário. Claro que não podemos auxiliar atividades infantis, nesse terreno. Quem não deseje cuidar de semelhantes obrigações, com a seriedade devida, poderá esperar fatalmente pelos espíritos menos sérios, porquanto a morte física não significa renovação para quem não procurou renovar-se. Onde se reúnam almas levianas, aí estará igualmente a leviandade. No caso de Isabel, porém, há que lhe auxiliar o esforço edificante. Em todos os setores evolutivos, é natural que o trabalhador sincero e eficiente receba recursos sempre mais vastos. Onde se encontre a atividade do bem, permanecerá a colaboração espiritual de ordem superior.”[1]

Desse modo, percebemos os cuidados dos espíritos superiores para com nossas reuniões. Fica claro também que eles não perdem tempo com as assembleias levianas, nas quais reina a frivolidade e falta a seriedade. Por outro lado, destacamos o carinho e a atenção que dispensam aos tarefeiros dedicados que se esforçam em busca do progresso espiritual. Não se trata de predileção, mas sim de merecimento justo por parte daqueles que se empenham para se tornarem pessoas melhores, cada vez mais úteis aos semelhantes e que, consequentemente, se transformam em instrumentos dos bons espíritos em diversas situações, frequentemente atuando de forma sutil por meio da intuição.

Dando continuidade às suas observações, André reparou que os servidores invisíveis dividiram a sala utilizando longas faixas fluídicas ou energéticas. Segundo Aniceto, era medida de preservação e vigilância do ambiente, necessária por causa da presença de dezenas de entidades sofredoras que seriam conduzidas aos labores da noite. Portanto, para limitar-lhes a zona de influenciação na residência de dona Isabel, era imprescindível realizar essas divisões magnéticas.

André também reparou que os amigos espirituais magnetizavam o próprio ar. Novamente, o mentor esclareceu: “Não se impressione, André. Em nossos serviços, o magnetismo é força preponderante. Somos compelidos a movimentá-lo em grande escala. (...) Já os sacerdotes do antigo Egito não ignoravam que, para atingir determinados efeitos, é indispensável impregnar a atmosfera de elementos espirituais, saturando-a de valores positivos da nossa vontade. Para disseminar as luzes evangélicas aos desencarnados, são precisas providências variadas e complexas, sem o que, tudo redundaria em aumento de perturbações. Este núcleo é pequenino, considerado do ponto de vista material, mas apresenta grande significação para nós outros. É preciso vigiar, não o esqueçamos.”[1]

Um Centro Espírita, por menor que seja fisicamente, pode ser um fantástico ponto de apoio da Espiritualidade superior na Terra. Tudo depende da seriedade e da qualidade do trabalho realizado por seus seareiros. Os mensageiros de Jesus sempre contam com o apoio dos homens de boa vontade na implantação do Cristianismo Redivivo no orbe, por meio do estudo e da prática do Espiritismo.

Vale ressaltar que as medidas de proteção não se restringiam aos recursos magnéticos. Nosso amigo ainda relatou que, mediante ordem dos superiores hierárquicos dos serviços naquela casa, vários vigilantes se colocaram em posição em torno da moradia. Em todos os detalhes se notava a supervisão dos benfeitores, a ordem e a simplicidade. É importante mencionar que na época em que o livro em estudo foi publicado, as reuniões eram realizadas na intimidade das residências, face à existência de raríssimos centros espíritas. Hoje, salvo os encontros para o estudo do Evangelho no lar, as reuniões de uma forma em geral, ocorrem nas instituições espiritistas, pois nas mesmas há mais recursos para a necessária proteção dos trabalhadores e das atividades a serem realizadas.

[1] Os Mensageiros – Pelo Espírito André Luiz, psicografado por Francisco Cândido Xavier – capítulo 43 (Antes da reunião).

Valdir Pedrosa – Setembro/2018

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: adQY (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.