A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 
Poema
 
DE LÍRIO INCONSCIENTE
Por: Vilma Oliveira



Como num delírio fico eu a imaginar-te
Junto a mim, de mãos dadas caminhando...
Frente ao mar, admirando as ondas que vão
e vêm... levando todos os preconceitos.
Os desencontros da alma que vive em nós...
Na procura incansável de tantos desejos!

Na areia alva, banhada por lágrimas frias,
São nossas pegadas presas aos sentimentos
São nossos pensamentos, equivocados anseios...
Que vagueiam sôfregos na imensidão do mar
Carregados por trôpegos lamentos adormecidos
Onde a força da natureza vibra por nós!

Eu escuto o murmúrio da tua voz suavemente
Aos meus ouvidos enclausurados de ternura
Na cega fobia que segreda dos pântanos...
No alvorecer da luz que ilumina teus olhos
Domina inteiramente meu ser condenado
A te amar incondicionalmente, e tanto!

Como uma sombra tu me persegues...
De tempo em tempo como um amuleto
Que ora me protege das más inclinações...
Que ora me possui com afabilidade...
Que me conforta, me conduz ao precipício,
Onde o corpo tremula, a alma cintila e desce...
Elevando-me ao encontro de mim mesma
Como num delírio eu fico a imaginar-te!


 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: LLBT (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.