A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Antuérpio Pettersen Filho
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
ASPOCIGRAN : “POR UM LUGAR AO SOL...”
Por: Antuérpio Pettersen Filho


ASPOCIGRAN : “POR UM LUGAR AO SOL...”

Por : Pettersen Filho


“Era uma vez, há muito tempo atrás, num País distante, onde viviam felizes, o seu Povo e o seu Governante....”
Assim, com a frase acima, dessas comuns, poderíamos começar a presente Crônica, que visa analisar a atual relação entre os Movimentos Sociais de Base, os Sindicatos, “versus” o Governo Brasileiro, muito especificamente, no nosso caso, o Governo do Estado do Espírito Santo, ao cargo do atual Governador, Ex-senador da República, Renato Casagrande, ou Renato “Mansão”, como queiram...
Contudo, não vivemos no País das Maravilhas, nem somos “Alice”, e tal introdução fica, de fato, bem melhor, num desses Contos da Carochinha, tipo: “Chapeuzinho Vermelho”
Isto posto, numa Reflexão, ainda assim, Histórica, desde os primórdios dos Movimentos Sociais no Brasil, dos primeiros Sindicatos e da Organização das Massas Trabalhadoras, então, confundidas com o próprio advento da CLT – Consolidação das Leis Trabalhistas, ainda nos Anos Trinta, tuteladas, não menos do que, pelo próprio Estado Brasileiro, sob a batuta da “Ditadura Vargas”, nascia o Sindicalismo no Brasil, onde, logo, foi cunhada a expressão: “Peleguismo”, querendo demonstrar a acintosa, e ultrajante, “Intervenção” do Governo nos tais Movimentos, indicando, ou cooptando, seus Diretores, em que, notoriamente, se sabe: “Governo é Governo”, Patrão é Patrão, e Trabalhador é Trabalhador.
Passados, ademais, os primeiros anos dos Movimentos Sindicais no Brasil, assim tidos, uma vez derrocada a Ditadura Vargas, foi somente nos Anos Cinqüenta, ao largo da Campanha “O Petróleo é Nosso”, e nas Marchas que levaram, e mantiveram, num primeiro momento, Jânio Quadros no Poder, que os Movimentos Sociais, e Sindicais, no Brasil, ganharam certa maturidade, até serem, novamente, ceifados pela “Gloriosa” Revolução Militar de 1964, quem acabou com a “Festa”...
Nascido das primeiras Greves do ABC Paulista, junto com o próprio Presidente Lula, “Ex”, e com a Abertura Política, nos idos de 1979, o Sindicalismo Tupiniquim, tal como o conhecemos hoje, acoplado nos “Movimentos” da Igreja Católica, Pastoral da Terra, CUT – Central Única dos Trabalhadores, MST – Movimento dos Sem Terra, surgidos em oposição aos Governos Liberais surgidos Pós-ditadura, tiveram por mérito, num primeiro momento, levarem o Presidente Lula ao Poder, em 2002, mostrando grande articulação e independência, mas, infelizmente, nos últimos anos, confundindo-se com esse mesmo Governo Lula, donde podemos, novamente, cunhar, com grande risco de acerto, a palavra “Pelego”, ao associar-mos tal Governo à CUT, ao MST, a UNE, e outros “Organismos”, dantes, vetores do Movimento Social, ora, uma espécie de Sub-agências do Governo...
Caso clássico, poderíamos citar, o ocorrido no Estado do Espírito Santo, recentemente, um dos menores, e mais progressistas, da Federação:
Determinados a constituir uma Associação de Classe, representativa dos Policiais Civis no Estado, um certo numero de Servidores formou uma Comissão Provisória, conforme estampa o artigo 8º da Constituição Federal, “Do Livre Direito de Associar-se”, ainda respaldados pela Lei Complementar Estadual, Regime Jurídico Único 46/94, que regula o Serviço Público no Estado, admitindo, e legalizando o Direito Sindical, inclusive, a “Faculdade” de poder o Servidor Sindicalizar-se, licenciando-se do cargo para tal fim, e, assim, conforme fazem o Sindicato dos Policiais Civis, e outras Associações de Classe, mais sintonizadas com o Governo Casagrande, peticionou ao Chefe de Polícia, Doutor Joel Lyrio Junior, como é a praxe, para que cedesse o Auditório da Chefatura de Polícia, para que se fizesse uma Assembléia no local, onde se constituiria a ASPOCIGRAN – Associação dos Policiais Civis da Grande Vitória, como, mesmo, o faz o Estado, ao liberar, corriqueiramente, o Espaço às suas “Congêneres”.
Resultado da “Ópera”:
Passados mais de dois meses sem resposta, ou efetiva Cessão, a ASPOCIGRAN, via um de seus Futuros Diretores, acaba de ingressar na Vara dos Feitos da Fazenda Pública da Comarca de Vitória, com Mandado de Segurança, para que possa, assim, via intervenção do Juiz de Direito, ter garantido o seu Espaço, e o seu Direito de se constituir.
Isso sim, é Sindicalismo, e não o que ora fazem muitos dos Entes Públicos, ditos, “Sindicatos” dos Trabalhadores, ou Movimentos Sociais, quem, na verdade, comem na Mão do Governo, num conluio escuso de interesses inconfessáveis.
Com a Palavra, o Doutor Juiz de Direito, e o Povo, que, saberão Julgar...
É, afinal, como dizia o Técnico Zagalo, ao vencer, completamente desacreditado, a Copa do Mundo: “Vocês vão ter que me engolir...”


ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO é Advogado Militante e Presidente da ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA além de EDITOR do Periódico Eletrônico JORNAL GRITO CIDADÃO


Jornal Grito Cidadão

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: NNcX (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.