A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

ALESSANDRA LELES ROCHA
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
Eles querem mudar o mundo, você não?!
Por: ALESSANDRA LELES ROCHA



Ah, a juventude! Está nela um desejo imenso de transformar o mundo. Por sorte, quase sempre, uma transformação para o bem, altruísta, solidária, fraterna. E o que não lhes falta é energia! Vitalidade! Ousadia! Para arregaçar as mangas. Preparar os discursos. Liderar as marchas. ... Enfim, fazer barulho no melhor sentido que isso possa significar.
A juventude é sim, a maior formadora de opinião. E isso nem é por conta das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), tão presentes e ativas na realidade do século XXI. Talvez, todo esse movimento juvenil tenha começado por um certo nazareno, que viveu apenas 33 anos; mas, revolucionou o mundo com suas ideias de paz e amor. Sofreu injúrias, calúnias e difamações, como tantos jovens antes e depois dele. Morreu por suas ideias; mas, elas seguiram adiante e permaneceram vivas e repetidas como ele jamais pensou que poderiam ser. Até mesmo, por gente semelhante aquela que o crucificou.
Mas, essa inquietude me parece perfeitamente normal. Pais, mães e responsáveis cortam um verdadeiro dobrado para ensinar, educar e trazer valores e princípios aos filhos. Então, a primeira coisa que se constitui em um ser humano é a célebre dicotomia entre certo e errado. Quando chegam à adolescência, ou efervescência dos sentidos, é impossível não contestar o que foi dito e repassado até ali.
Seus olhos estão amplamente abertos. Seus ouvidos atentos ao que se diz. Suas cabeças estão plenas para processar milhões de informações por minuto. A juventude é, portanto, o tempo da primeira ressignificação. Tudo adquire novos contornos, formas, cores e valores. Cada um tem em si os caminhos da sua revolução para um mundo melhor.
E com tudo junto e misturado, a juventude se alimenta do ideal e faz dele a sua bandeira, mesmo que seja com certa dose de exagero. Mas, exagerar é, também, sinônimo de juventude. É a vida a flor da pele. É a adrenalina que faz o corpo tremer e sorrir.
No entanto, se engana redondamente quem pensa que não há seriedade, suficiente, na juventude. Descobridores e desbravadores no sentido mais pleno dessas palavras, eles são capazes de enxergar o mundo como ele é. Sem retoques. Sem artifícios. Diante de uma verdade nua e crua. Por isso, sua consciência tão ativa e altiva para a transformação. Não há desafios que lhes impeçam de lutar. A sua própria existência é uma expressão combativa. Cabelos. Roupas. Linguagem. Na juventude tudo é capaz de falar; inclusive, não há nada mais eloquente do que o seu silêncio.
E por tamanha capacidade de “combater o bom combate”, eles causam tanto incômodo. Certamente, porque são o espelho daqueles que aguardaram o tempo certo para fazer e não fizeram ou se eximiram das responsabilidades, aguardando que alguém fizesse por eles. Agora, eles não dispõem mais desse arrojo, dessa vitalidade, desse idealismo correndo nas veias. Cansaram. Sentaram. Aguardam a vida se arranjar e, um dia, a morte chegar.
No fundo, há uma pontinha de inveja por tudo o que os jovens pensam, falam e fazem. A juventude, principalmente essa que está diante dos nossos olhos, é fantástica. Ela transcende o discurso na manifestação mais intensa de si mesma; ela age segundo as suas próprias ideias, então, não há distorção entre o dizer e o fazer. Portanto, ela consolida a sua visibilidade pelo exemplo, de modo que o engajamento promovido por essas lideranças jovens ao redor do planeta é contínuo.
Greta Thunberg, Malala Yousafzai, Emma González, Jack Andraka e Amika George, são apenas algumas dessas lideranças que estão, de fato, transformando o mundo. Mas, veja os milhares e milhares de jovens que foram às ruas nos Estados Unidos e em outros países, durante os protestos contra o racismo e a violência policial. Ou aqueles que lideram projetos sociais e de educação em suas comunidades, por meio de formação de bibliotecas, da aquisição de cadeiras de rodas a partir da venda de lacres de latas de alumínio, da construção de hortas comunitárias para reduzir o déficit nutricional e alimentar das famílias de baixa renda, enfim... Essa é a juventude que quer um planeta inteiro e não pelas metades, dividido pelo ódio, pela intolerância, pelas desigualdades. Essa é a juventude que quer um mundo saudável de cabeça, de corpo e de alma.
Que bom que seja assim! Que bom que essa juventude esteja comprometida com a sua consciência humana e cidadã, ao ponto de construir uma rede de compartilhamento desses valores. O voto democrático tem uma dimensão extremamente importante para esses jovens; mas, eles já entenderam que ele representa só um pedaço dentro da cidadania. Sem a responsabilidade, o engajamento, a participação ativa da sociedade, o mundo não sai do lugar. Se a raça humana se transformou tanto desde os primórdios, como pensar que as relações sociais não demandem o mesmo processo? A evolução implica em arejar as ideias, revolver as perspectivas e as expectativas, ler as linhas e as entrelinhas das linguagens, criar, imaginar,... enquanto o mundo gira, todos deveriam girar também.
Viva a juventude! De famosos. De anônimos. De pessoas que não estão nessa vida a passeio. São eles os ventos da mudança que o mundo tanto carece. Erros e acertos não são privilégios de nenhuma idade. A maturidade traz experiência; mas, não necessariamente a sabedoria. Portanto, deixemos a juventude voar! Semear esperanças! Plantar flores e emoções! Porque um dia, como escreveu lindamente Arnaldo Antunes, “A coisa mais moderna / que existe nessa vida é envelhecer / a barba vai descendo / e os cabelos vão caindo pra cabeça aparecer/ Os filhos vão crescendo / e o tempo vai dizendo que agora é pra valer / os outros vão morrendo / e a gente aprendendo a esquecer [...]” 1.


1 Envelhecer – Arnaldo Antunes. Disponível em: https://www.letras.mus.br/arnaldo-antunes/1547283/

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: dJLX (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.