A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Antuérpio Pettersen Filho
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
... 364 X 130 , A DITADURA DE TOGA : “CÂMARA DOS DEPUTADOS SE AJOELHA DIANTE DO PODER JUDICIÁRIO”
Por: Antuérpio Pettersen Filho

... 364 X 130 , A DITADURA DE TOGA : “CÂMARA DOS DEPUTADOS SE AJOELHA DIANTE DO PODER JUDICIÁRIO”
Por : Pettersen Filho
Casa Legislativa, a mais alta representante do Poder Legislativo no Brasil, juntamente com o Senado Federal, Poder supostamente Autônomo e Independente, na Teoria do Pacto Federativo, que estabeleceu a Harmonia e a Interdependência dos Poderes no País, Executivo, Legislativo e Judiciário, incumbida, mesmo, de escrever a própria Constituição da República de 1988, o que se viu ontem à tarde, dia 19/02/2021, que ficará para sempre gravado nos anais da História, que os cobrará, fatalmente, em futuro próximo, no episódio da Sessão que manteve a prisão praticada pelo STF – Suprema Corte do Brasil, do Deputado Federal Daniel Silveira, foi a mais completa submissão, abjeta e despropositada, de um Poder da República à outro, oportunidade em que a própria Câmara dos Deputados, a quem cabe homologar e autorizar a dita prisão, feito ao arremedo pelo STF, numa votação sem precedentes, abriu mão, completamente, da sua Prerrogativa, da sua Independência e Autonomia Legislativa, da própria Inviolabilidade que possui o detentor de Mandato Legislativo, quando no exercício da sua função, de Intocabilidade e direito de Opinião, cujo placar autorizativo 364 x 130, favorável a manutenção da prisão.

Sem que se aborde aqui arroubos mais técnicos, e jurídicos, à respeito da própria Liberdade de Expressão, Intocabilidade, e as minúcias legais do que seja Flagrante Delito ou Crime Inafiançáveis, mesmo a Liturgia processual da prisão, e sua Legalidade, que, fatalmente, à posteriore e, diante de uma Denúncia e prévio Processo Legal, puniriam o Deputado, não havidos pelo Supremo, oportunidade em que o próprio, assim chamado, “Guardião da Constituição” da República, o STF, rasgou-a completamente, e redigiu de próprio punho, à Unanimidade corporativa dos seus onze membros, a tal prisão decretada, Daniel Silveira, colocado de súbito na vitrine, ou pedestal, Deputado de 1º Mandato, inexperiente e novo, pagou pelo próprio “Crime” de não ser um daqueles “Caciques”, Deputados presos com dinheiro desviado na cueca, por não possuir conchavos com a Esquerda Corrupta, tipo PT, ou por não praticar o velho conhecido jogo do “toma lá e me da cá”, mesmo ora, do Centrão, preso, e fatalmente, será cassado, muito menos pelo que disse, em razão dos Ministros do STF, ou pela Apologia ao AI-5, entalados na boca de boa parte da Nação sem voz, que ele representa, mas por ser Ele, Deputado, a “Moeda de Troca” da vez, ora, do próprio Poder Executivo, diga-se de passagem, o próprio Presidente Jair Messias Bolsonaro, de quem, como um Batedor, chamado a adiantar-se a Tropa, vai à frente, sob risco da Artilharia Inimiga, para preservar o Batalhão que marcha recuado, abandonado pelos seus, e como prenda ofertada pela própria Câmara, em inadmissível afago ao Poder Judiciário, quando totalmente rasgadas as Normas de Decoro, e do Devido Processamento Legal, nesse caso não havidos.

Julgamento lamentável, que o julgará, no futuro, a própria História, não passa apenas, de mais um Capitulo da Judicialização, inaceitável, da vida Política Republicana no Brasil, em que parece o Judiciário Tupiniquim, via manobras, como a presente, querer assenhorar-se dos demais Poderes da República, Executivo e Legislativo, talvez, mesmo, diante da atual omissão desses, situação cada vez mais em que se apequenam, e se vendem, os Políticos brasileiros, diante de uma Comunidade Jurídica perplexa, em razão do embate, cujo Direito Constitucional, Penal, de Processo Penal, Hermenêutica e Doutrina, bem como a detenção de Mandato Legislativo, foram jogados às favas, para deleite e bel prazer dos que, definitivamente, não acreditam no Estado Democrático de Direito...

“PRI : Publique-se, registre-se e intime-se !”:

Contra tal devaneio, praticado pelo próprio Supremo, e submissão política da Câmara Legislativa, não há outra Instância a se recorrer, se não a própria “Justiça da Raposa no Galinheiro” em que se transformou o Supremo Tribunal Federal.

Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadão”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: dZCR (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.