A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

Antuérpio Pettersen Filho
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
PETROBRAS : “SER ESTATAL OU SER EMPRESA DE MERCADO, EIS A QUESTÃO ?”
Por: Antuérpio Pettersen Filho

PETROBRAS : “SER ESTATAL OU SER EMPRESA DE MERCADO, EIS A QUESTÃO ?”
Por : Pettersen Filho
Drama típico dos Casos de Shakespeare, Empresa envolta na mais recente polêmica, desde a sua criação por Getúlio Vargas, em 1954, no limiar do seu Governo, junto com a Lei de Remessa de Lucros ao estrangeiro, pelas Multinacionais, que culminou na Trama da Rua Toneleiros, e na sua Deposição/Suicídio, exatamente uma Empresa Estatal, justamente para concorrer com as Grandes Irmãs do setor, Exxon e Shell, quando, a não ser alguns visionários, como o Fabulista Monteiro Lobato, sequer acreditavam que havia Petróleo no País, a Petrobras, Gigante Estatal brasileira, teve a sua cotação de Mercado, e propósitos Estatutários, profundamente atingidos, essa semana, diante das notícias de que o Presidente Bolsonaro, ante às altas anunciadas pela Empresa de cerca de 10/% na Gasolina, e outros 15% no Diesel, iria mudar a Direção da Companhia, tirando o atual Presidente, Castelo Branco, inflexível quanto a Política de Preços da Estatal, alinhada ao Dollar, e colocaria o General Silva na Direção, ainda a ser homologada pelo Conselho da Petrobras, semana próxima.

Contrariando Ditado Popular que diz “Filho Feio não tem Pai”, a Petrobras, absoluto sucesso na prospecção de Petróleo em águas profundas, da Bacia de Campos até o recém Présal, que quadriplicou a extração de Petróleo no Brasil, nos últimos vinte anos, quando a Empresa optou pelo Mar, ao invés do quase inexistente Petróleo em Terra, nos anos dos Embargos e da Crise da OPEP, 70, dando independência energética ao País, coisa que as Irmãs Multinacionais não fariam, posto que, óbvio, é mais fácil implantar uma Primavera Árabe na Líbia ou Iraque, com Petróleo barato a Flor da Terra, ou aplicar um Golpe de Estado no Irã, do que arcar com tais custos, ora, Petrobras: “Joia da Coroa” cobiçada por todos, além de ter, como “Pai”, o Estado brasileiro, possui também, para seu demérito, características de Companhia de Mercado S/A, com ações negociadas na Bolsa de Nova Iorque, cujo Deus sagrado, e fundamentos de Mercado, é tão somente o Lucro, puro e simples, custe o que custar...

Diante da Pandemia Mundial, Inverno Cortante no Centro dos Estados Unidos, atípico e cruel, que elevaram o preço da commodity, ora, Bolsonaro se vê compelido a intervir na Empresa, com isso arriscando a sua lucratividade, e por que não dizer, credibilidade internacional, já tão desgastada, desde a época do Mensalão e Petrolão do Governo Lula & Dilma, que tanto roubaram e depauperaram a Empresa, levando, inclusive, a mudanças em seu Estatuto e à Regras no seu Conselho, que dificultam, por um lado, a corrupção, mas também a eventual substituição, fazendo com que, diante de tal sorte de ocorrências, desfizesse parte dos seus ativos, para saneá-la, condição essa que, juntamente com o necessário alinhamento dos seus preços ao Dollar, e ao Petróleo Internacional, infelizmente, refletem nos custos da Gasolina, do Diesel e do Gás de Cozinha nas bombas, ainda hoje, em franca reparação.

Entre a Cruz, de enfrentar aumento de preços, no Mercado interno, acrescentando risco real e grave, diante de ameaças de Greve dos Caminhoneiros, que quase derrubaram o Presidente Tampão Temer, incluindo0se ai a irredutibilidade dos Governadores de Estado, em diminuir os Impostos sobre os combustíveis, como o faz o Governo Federal, e, de outro lado, a Espada do Mercado, que exige da Petrobrás Lucro desmedido, ainda que abale a estabilidade do Brasil, Bolsonaro terá que cortar, politicamente, na própria carne.

Commodity, o Petróleo, que tende a perder a importância nos anos vindouros, devido ao aporte de novas fontes energéticas no Mundo, Fotovoltaica, Eólica, Xisto, e outros, tal qual o Carvão, século passado, que movia os teares e vapores de todo o Planeta, diante da fatal substituição do Carvão pelo Petróleo, então prometida, efetiva, e totalmente, nunca havida, quem continua ter importância, da China aos EUA, outrossim, o Brasil paga a conta maldita por seus erros históricos, de outrora ter retirado dos Trilhos, e Barcos, a sua força motriz, quando, para favorecer as Irmãs, e a Indústria Automobilística Multinacional, num Modelo de Desenvolvimento mas despojado do Estado brasileiro, que ora se mostra fracassado, e imprudente, optou por Rodovias, caras e desinteressantes, e, paga também, por seus acertos indeléveis, ao ter criado, Estatal, a Empresa, das mais produtivas e potentes do Mundo, inerente, mesmo, a Segurança Nacional, como bem o entende Bolsonaro, ora capaz, via intervenção, de influir nas Regaras do Jogo, e trazer um pouco mais de estabilidade ao País, ao Mercado Interno brasileiro, e a combalida Economia Exportacionista brasileira, que tanto desprestigia, com ausência de arroz, óleo de soja e carne, a mesa do brasileiro, em detrimento à China e Europa, causando pobreza e fome à Nação, ora rica, e exportadora de Petróleo.

É o paradoxo, enfim a contradição!

Quanto ao Mercado, o Semideus, o especulador e acionário, que ele vá para o Mar, pescar, como nos anos difíceis o fez a Petrobras, que ora, mais uma vez, querem roubar... ?

Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadão”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: WULU (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.