A casa dos grandes pensadores

Bem-vindo ao site dos pensadores!!!

| Principal |  Autores | Construtor |Textos | Fale conosco CadastroBusca no site |Termos de uso | Ajuda |
 
 
 

 

ODILON DE MATTOS FILHO
Publicações
Perfil
Comente este texto
 
Jornalismo
 
REABERTURA DO CASO DA FACADA E AS ELEIÇÕES DE 2022.
Por: ODILON DE MATTOS FILHO

Não temos dúvidas de que um dos elementos mais decisivos das eleições de 2018 foi o “suposto” atentado sofrido pelo capitão Bolsonaro. Aliás, justificamos o adjetivo “suposto” porque o documentário "Bolsonaro e Adélio: uma fakeada no coração do Brasil", produzido pelo brilhante jornalista Joaquim de Carvalho deixa um série de indícios de que essa facada pode ter sido, na verdade, um auto-atentado. Vale ver o documentário!

A referida agressão foi decisiva para o resultado das eleições por dois aspectos: primeiro, porque Bolsonaro se transformou em vítima, ou melhor, em mito para os seus seguidores e inflamou, ainda mais, a manada que já tinha estourada, e segundo, porque graças a esse atentado Bolsonaro encontrou um álibi para não participar dos debates, até porque ele deve ter consciência de suas limitações intelectuais e emocionais para participar de um debate democrático.

A propósito o Professor de Ciência Política da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, William Vela Nozaki avaliou que “o acontecimento da facada foi fundamental na eleição por pelo menos três motivos: para que Bolsonaro ganhasse visibilidade nacional, já que sua candidatura não dispunha de tempo relevante de TV; para que pudesse aparecer como um mártir, minimizando suas lacunas programáticas e polêmicas ideológicas; e para que a estratégia de comunicação da campanha pudesse, definitivamente, migrar dos veículos tradicionais para as redes sociais digitais1”.

As investigações sobre o atentado sofrido pelo capitão, que, inclusive, teve participação da PF, correram normalmente e apontou que Adélio agiu sozinho, ou seja, por conta própria e sem mandantes. A Justiça, por sua vez, decidiu que Adélio Bispo além de ter agido sozinho, é inimputável por ter problemas psicológicos. No entanto e curiosamente, Adélio foi transferido para a Penitenciária Federal de Campo Grande e não para um Hospital Psiquiátrico Judiciário. Adélio não responderá a procedimento disciplinar de caráter punitivo, medida que tem prazo indeterminado ou até que seja verificada a cessação da sua periculosidade.

A propósito, pela primeira vez um profissional independente, o perito José de Ribamar de Araújo e Silva representante da Entidade “Mecanismo Nacional de Prevenção à Tortura”, visitou Adélio Bispo de Oliveira. Aliás, essa visita foi à Penitenciária de Campo Grande e lá os detentos sugeriram ao Perito visitar o Adélio Bispo. Em entrevista ao canal Resistência Contemporânea o referido Perito disse que Adélio vive em condições análogas de tortura. Antes desta visita, o Defensor Público Federal, Valber Rondon Ribeiro Filho, já tinha requerido ao Juiz de Campo Grande, que Adélio fosse transferido para um Hospital Psiquiátrico, mas, a Justiça Federal de Juiz Fora foi contra. Segundo esse Defensor esse caso deveria ser remetido às cortes internacionais dos direitos humanos, afirmando que "Adélio é um caso único, escandaloso, que precisa ser denunciado2".

Ouro caso curioso nesse processo, foi o fato da Justiça determinar que os defensores de Adélio fossem seus Tutores e não os seus familiares como determina a lei. Vale ressaltar que estes defensores, simplesmente, abandonaram Adélio depois da sentença, por essa razão, a entrada da Defensoria Pública da União neste processo.

O capitão Bolsonaro sempre defendeu a tese de que Adélio não agiu sozinho, porém, tanto o Ministério Público como os advogados de Bolsonaro não recorreram da sentença do juiz que decidiu pela imputabilidade do réu Adélio Bispo. Portanto, cabe a pergunta: por que Bolsonaro não recorreu da sentença?

Este modesto escriba analisando este caso da facada chegou a pensar que a transferência de Adélio para um presídio poderia transformá-lo em presa fácil para uma queima de arquivo, no entanto, o que nos parece agora é que Adélio pode ser um grande trunfo para Bolsonaro nas eleições de 2022, o que explicaria o porquê Bolsonaro não recorreu da citada sentença.

Depois de passados mais de dois anos da sentença do magistrado de Juiz de Fora, curiosamente, o TRF da 1ª Região (Brasília), no dia 03/11/2021, acolheu a um Pedido dos advogados de Bolsonaro e decidiu, surpreendente, reabrir o processo sobre o atentado ao capitão Bolsonaro, mesmo depois de já ter sido encerrado duas vezes. E o mais incrível, autorizou a apreensão e as quebras dos sigilos do advogado de Adélio Bispo. Mesmo entendendo que a conduta do advogado com relação ao seu cliente Adélio é reprovável, o que nos afigura nessa decisão do TRF-1° é uma clara arbitrariedade, pois, viola o sigilo profissional de um advogado que não é e nunca foi investigado no caso em tela

O polêmico Frederick Wassef, advogado da famiglia Bolsonaro, que mais parece um papagaio reverberando os delírios do presidente e de seus filhos, voltou a defender a tese de que houve um mandante do atentado sofrido pelo capitão. Segundo Wassef “há fortes indícios e um conjunto robusto de provas de que a esquerda brasileira ordenou a morte do presidente3”, portanto, segundo o papagaio, ou melhor, o advogado, as duas investigações realizadas pela polícia, que convergiam para a tese de que o agressor agiu sozinho, não têm mais valor.

Está muito claro que reabertura deste caso está ligada à eleição de 2022, afinal, todas as pesquisas apontam para a vitória do presidente Lula, portanto, Bolsonaro precisa criar, urgentemente, fatos políticos, especialmente aqueles que possam transformá-lo, novamente, em vítima e/ou em mito e ao mesmo tempo, demonizar a esquerda brasileira, em especial, o Partido dos Trabalhadores e o seu maior líder, Luiz Inácio Lula da Silva. Portanto, a reabertura deste caso da facada tem apenas o propósito de criar um fato politico a favor do presidente negacionista.

Dessa forma, entendemos que às forças democráticas do país, precisam ficar atentas e colocar um fim neste episódio, pois, a reabertura deste caso com o suspeitíssimo aparelho judiciário do país, pode ser um elemento novo, perigoso e crucial para decidir o próximo pleito presidencial. Não há espaço para subestimar a extrema direita e os seus modus operandi fascista, todo cuidado é pouco!


































1 Fonte: https://brasil.elpais.com/brasil/2019/09/05/politica/1567699980_661739.html
2- Fonte https://www.brasil247.com/blog/adelio-vive-em-condicoes-analogas-a-tortura-denuncia-perito-que-o-visitou-no-presidio-federal-de-campo-grande-video
3- Fonte: https://brasil.elpais.com/opiniao/2021-11-08/a-misteriosa-facada-em-bolsonaro-volta-ao-jogo-em-clima-eleitoral.html

 Comente este texto
 Paralerepensar


Comentário (0)

Deixe um comentário

Seu nome (obrigatório) (mínimo 3, máximo 255 caracteres) (checked.gif Lembrar)
Seu email (obrigatório) ( não será publicado)
Seu comentário (obrigatório) (mínimo 3, máximo 5000 caracteres)
 
Insira abaixo as letras que aparecem ao lado: RbRO (obrigatório e sensível. Utilize letras maiúsculas e minúsculas;)
 
Não envie mensagem ofensiva e procure manter um intercâmbio saudável com o seu correspondente, que com certeza busca dar o melhor de si naquilo que faz.
Seu IP será enviado junto com a mensagem.